Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 17/04/2018. Alterada em 16/04 às 20h17min

Oi reforça portfólio e lança cloud privada

Cátia garante que o mundo das nuvens está cada vez mais híbrido

Cátia garante que o mundo das nuvens está cada vez mais híbrido


/MARCO QUINTANA/JC
Patricia Knebel
A Oi anunciou a evolução da sua solução de nuvem para as grandes corporações com o lançamento do Oi Smart Cloud 4.0, desenvolvido em parceria com a Hewlett Packard Enterprise e a Ormuco, empresa de software canadense.
A principal novidade é a oferta da nuvem privada - até então, a companhia oferecia apenas a opção pública. A perspectiva da empresa é de que o potencial de mercado no segmento das grandes corporações é maior para a cloud privada, apesar de ter algumas aplicações pontuais que deverão ficar na pública. "O mundo de cloud será cada vez mais híbrido", aponta a diretora nacional do Corporativo da Oi, Cátia Tokoro.
A promessa é que, com o upgrade tecnológico, a nova solução possibilite implementações gerenciadas de nuvens inteligentes e gestão de aplicações e dados dentro e fora do data center do cliente com maior segurança e agilidade. Os clientes poderão pilotar a sua infraestrutura de acordo com as suas regras e com a possibilidade de acrescentar serviços, com os de Inteligência Artificial.
Essa oferta da cloud privada deve despertar interesse do mercado, na medida em que a preocupação com a segurança é latente, especialmente após os casos recentes de vazamento de dados, como do Facebook. "A cibersegurança é um tema cada vez mais relevante para as empresas. A preocupação com a privacidade e anonimidade sempre existiu na Oi, tanto como operadora como no de fornecedora de serviços para as grandes empresas. Com últimos episódios, o cuidado vai continuar existindo", analisa Cátia.
A executiva esteve ontem em Porto Alegre para participar de um roadshow que a diretoria da área Corporativa da operadora está fazendo nas principais capitais do País para alinhar a estratégia de negócios para 2018 e anunciar as novidades. Além do Oi Smart Cloud 4.0, a empresa anunciou a inclusão de novos serviços à plataforma Gestão Integrada de Serviços - Managed Security Services (GIS MSS), que permite gerenciamento integrado de serviços de segurança para clientes corporativos.
A plataforma possui um portal que pode ser acessado por múltiplos dispositivos com visões executivas e operacionais, e conta com equipe de gerenciamento 24 horas, setes dias por semana. Através dela, é possível ter visibilidade do tráfego bloqueado por porta e por IP, alertas IDS (Sistema de Detecção de Intrusos) por técnica de ataque, ameaças com prioridade alta, utilização de CPU e memória, conexões por segundo, ataques DOS e brute force, registros de interações e informações trafegadas, entre outros.
"Essa plataforma de gestão monitora a nossa própria rede e também mostra para o cliente uma visão da sua própria infraestrutura. Antes, eles já tinham a opção de gerenciar os dados e, agora, terão também a de todos os serviços de TI", explica o diretor de TI/SI de Negócios da Oi, Luiz Carlos Faray.
O portfólio de soluções da operadora para esse mercado está dividido em quatro grandes torres: cibersegurança, cloud e data center, Internet das Coisas (IoT) e Big Data e Analytics. A Oi investiu, nos últimos três anos, cerca de R$ 100 milhões em soluções de TI e possui 5 mil clientes no segmento Corporativo. A participação da receita de serviços não voz atingiu 70,5% do total do Corporativo no terceiro trimestre de 2017.
O time corporativo do Rio Grande do Sul venceu, no início deste mês, o edital para licitação para contratação por 30 meses dos serviços de telefonia móvel e internet 4G do governo do estado do Rio Grande do Sul. A companhia vai fornecer 15 mil linhas, entre voz e dados, que serão usadas pelo governo gaúcho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia