Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Cinema

Alterada em 12/04 às 16h40min

Após polêmica de 2017, Netflix fica fora do Festival de Cannes

Plataforma sob demanda decidiu abandonar o festival por discordar das normas de exibição na França

Plataforma sob demanda decidiu abandonar o festival por discordar das normas de exibição na França


JUSTIN SULLIVAN/AFP/JC
Folhapress
A Netflix comunicou nesta quarta-feira (11) que estava se retirando totalmente do Festival de Cannes, que acontece entre 8 e 19 de maio. Ao contrário do ano passado, nenhum filme produzido pela Netflix estará na mostra competitiva, depois que a plataforma sob demanda decidiu abandonar o festival por discordar das normas de exibição na França.
Frémaux explicou que propôs a inclusão de um filme na mostra oficial e outro -uma obra inacabada de Orson Welles e finalizada pela Netflix- fora da competição. Mas a gigante do streaming se negou a aceitar que a estreia aconteça nos cinemas da França.
A lei francesa determina que após a estreia nos cinemas, um filme deve aguardar quatro meses para ser lançado em DVD ou no sistema OnDemand. Depois de 10 meses pode ser exibido na TV aberta e após 36 meses em qualquer serviço de streaming. Desta maneira, o Netflix decidiu não participar em absoluto do Festival de Cannes.
"Queremos que nossos filmes estejam em pé de igualdade com os demais. Se existe o risco de nossos filmes e cineastas receberem um tratamento desrespeitoso no festival (...) acredito que é melhor não estarmos lá", afirmou à revista Variety Ted Sandoros, diretor de conteúdo da empresa americana, antes de pedir a "modernização de Cannes.
"É uma pena", disse Frémaux. No ano passado, a presença de dois filmes da Netflix na mostra oficial provocou a irritação dos proprietários de cinema franceses.
Pedro Almodóvar, que era presidente do júri, também criticou a postura da Netflix, que exibiu na competição do ano passado Okja, do sul-coreano Bong Jon-hoo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia