Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 11/04/2018. Alterada em 10/04 às 21h03min

Patrimônio político

Os partidos intensificam suas propostas e parcerias após a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na opinião do deputado federal gaúcho Jerônimo Goergen (PP), sem Lula, o PT vai ter um candidato que "a gente não sabe se é próprio ou vai apoiar alguém. Esse candidato vai ter um percentual de votos, e o partido vai trabalhar para ter um pouco de patrimônio político". Segundo Goergen, "está aberto um cenário para os demais candidatos ocuparem um maior espaço". Então, avalia o parlamentar, "não existe ninguém ocupando o espaço de direita, e ele vai ser ocupado pelo Jair Bolsonaro (PSL)". Candidatos como Álvaro Dias (Pode-PR) e Flávio Rocha (PRB) têm possibilidade de buscar esses votos.
Segundo turno
Quanto às chances para o segundo turno, Goergen disse que o "cenário indica a presença de Bolsonaro e mais alguém, que seja provavelmente a Marina (Silva, Rede). Mas agora você pega Joaquim Barbosa (PSB), o próprio Flávio e outros nomes, aí nós temos 20 candidatos", ponderou.
PP libera nos estados
O deputado gaúcho afirma que "o PP nacional quer liberar os estados". Ele adiantou que já teve uma conversa, na semana passada, com o senador Ciro Nogueira (PP-PI), que informou ter um compromisso pessoal com Rodrigo Maia (DEM-RJ). Disse que, se o partido quiser construir outro caminho, ele vai respeitar, mas a tendência, segundo as notícias, é um cenário de liberação dos estados. Segundo Goergen, a executiva encaminhou um pedido para que seja feita essa liberação dos estados.
Alckmin tem candidato
"Na nossa avaliação", acentuou Goergen, "apoiar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) não tem vantagem nenhuma, porque Alckmin tem o candidato dele (Eduardo Leite, PSDB). Então não nos interessa. E aí a liberação dos estados é a melhor coisa".
Mérito Judiciário Militar
O Tribunal Superior Militar comemora 210 anos com entrega de medalhas a diversas personalidades. A cerimônia de entrega de comendas da Ordem do Mérito Judiciário Militar ocorreu no Clube do Exército, em Brasília. Entre os agraciados estão o general de Exército Walter Braga Neto, interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro; o ministro da Justiça, Torquato Jardim; e os ministros do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli, Rosa Weber e Alexandre de Moraes. A lista de indicados deste ano também inclui o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), entre outros.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia