Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 13 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

muito prazer

Notícia da edição impressa de 13/04/2018. Alterada em 13/04 às 15h46min

Lugares que surgem na cidade

ORQUESTRA DE PANELAS/DIVULGAÇÃO/JC
  • Orquestra de Panelas sempre foi um oásis no bulício da rua Padre Chagas - sim, fica no número 196, mas no piso superior de uma casa antiga, agora inteiramente reformada pelos novos proprietários. A intenção é manter a classe, mudou apenas o menu, com acréscimos feitos pelo chef Nicolas Stefanoski, adepto da culinária francesa. O almoço passa a contar com sugestões diárias, por preços atraentes, afora o habitual serviço à la carte. Na foto, picanha com farofa de banana e chimichurri. Reservas: (51) 3346-9439.
  • O Piccolino abriu outra pequena operação, ali mesmo no bonito casario antigo da rua Félix da Cunha: Bubble Waffle. Cones de massa belga recebem variados sabores de gelatos italianos - um, com calda e dois toppings custa R$ 18,00. Os sabores frutas vermelhas (sem leite) e chocolate dark (diet) podem ser degustados em potinhos. Mesinhas, claro, na calçada e astral - se espera - igual ao do café dos mesmos proprietários.
  • Esta é uma pizzaria que se gaba de utilizar técnica italiana. A preparação da massa requer longa fermentação, para que se torne suave; os discos são abertos à mão; os ingredientes são artesanais, vários importados da Itália; e o resultado é esse da foto, uma Coppa di Parma. Ela custa R$ 62,00 (grande, oito fatias) ou R$ 48,50 (seis fatias). A cobertura tem copa, molho de tomate pelado, Mozzarella de búfala, manjericão e balsâmico. O forno da Wood fica na vitrine, pizzaiolos trabalham à vista de todos. Rua Lucas de Oliveira, 1.725, tel. (51) 3737-4440. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://midias.jornaldocomercio.com.br/_midias/jpg/2018/04/11/206x137/1_pan_pizza_dvg_wood_pizzaria-1786660.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ace6c64041f2', 'cd_midia':1786660, 'ds_midia_link': 'http://midias.jornaldocomercio.com.br/_midias/jpg/2018/04/11/pan_pizza_dvg_wood_pizzaria-1786660.jpg', 'ds_midia': 'muito prazer - foto 1', 'ds_midia_credi': 'WOOD PIZZARIA/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'muito prazer - foto 1', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}

Crônica de uma morte anunciada


CPM/DIVULGAÇÃO/JC
Esse que se vê na foto é o atual estágio de sucesso do Paris 6, que teve vida efêmera em Porto Alegre. Diferentemente de alguns restaurantes locais, que desistiram em função da crise econômica e da insegurança que se sente ao sair à noite, o Paris fechou por sua exclusiva culpa.
Tratou os porto-alegrenses como caipiras, criou filas desnecessárias à sua porta, desrespeitou reservas, contratou pelo menos um maître e uma recepcionista treinados para serem prepotentes, enfim, agiu como se prestasse algum tipo de favor ao abrir espaço aos consumidores.
Os ingênuos que suportaram esse tratamento duraram pouco, por um tempo foram substituídos por gente da Região Metropolitana, mas esses também entenderam que não valia a pena. A agonia do Paris 6 passou por preços promocionais, café da manhã ao custo de lanchonete de rodoviária, nada funcionou. Os empregados perderam suas vagas, até porque não havia mais a quem enganar, e ninguém se prestava a enfrentar filas imaginárias.
Esse é um que não pode pôr a culpa na equipe econômica da Dilma, a incompetência e a abordagem errada foram responsabilidade exclusiva de quem as gerou.
 

Um frapê sem açúcar


COZINHA EXPERIMENTAL UNIÃO/DIVULGAÇÃO/JC
Este sábado marca o Dia Internacional do Café, bebida universalmente consumida. Aqui, ela aparece na forma de frapê, em receita criada pela chef Ivy Oliveira, da Cozinha Experimental União. Em vez de açúcar, utiliza sucralose. E mantém essa pegada diet em todos os ingredientes - para quem controla o peso, pode ser bom!
Frapê de Coco com Café
Ingredientes (uma porção):
  • 1 vidro (200 ml) de leite de coco
  • 100 g de chocolate diet
  • 50 ml de creme de leite
  • 200 ml de leite
  • 2 colheres (chá) de café solúvel
  • ½ colher (chá) de cacau em pó
  • 10 gotas de adoçante líquido
  • ½ colher (sopa) de adoçante culinário
  • 100 ml de creme de leite fresco
  • raspas de chocolate diet
Modo de preparar:
  1. Despejar o leite de coco em fôrmas de gelo e manter no freezer por 12 horas antes de utilizar.
  2. Derreter chocolate e creme de leite em banho-maria, mexendo para ficar homogêneo. Reservar em temperatura ambiente até espessar.
  3. Colocar no liquidificador leite, cubos de leite de coco congelados, café solúvel, cacau em pó e adoçante líquido. Bater até atingir consistência cremosa.
  4. Misturar adoçante culinário com creme de leite, levar a batedeira e bater em velocidade máxima por cerca de dois minutos. Reservar na geladeira até o momento de utilizar.
  5. Fazer desenhos com calda de chocolate dentro de uma taça, adicionar o frapê e decorar com chantilly e raspas de chocolate.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia