Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

25/03/2018 - 13h09min. Alterada em 26/03 às 02h45min

Ventos causam destruição e uma morte no interior do Rio Grande do Sul

Temporal atingiu estruturas da Festa do Peixe, em Taquaruçu do Sul, onde homem morreu

Temporal atingiu estruturas da Festa do Peixe, em Taquaruçu do Sul, onde homem morreu


Thiago Sartori/Festa do Peixe/Divulgacão/JC
Patrícia Comunello
O temporal com ventos fortes que atingiu o Rio Grande do Sul causou destruição e uma morte, segundo a Defesa Civil estadual. O maior estrago foi registrado nas instalações da Festa do Peixe, em Taquaruçu Sul, no norte do Estado e distante 425 quilômetros de Porto Alegre.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou nesse sábado ventos de 96 quilômetros por hora (km/h) em Vacaria, na Serra Gaúcha, e de 95 km/h em Lagoa Vermelha, onde o telhado do Hospital São Paulo foi quase todo arrancado na noite desse sábado. Rio Grande teve ventos de 76 km/h, São Vicente do Sul, de 71 km/h, e Soledade, de 70 km/h.
> VÍDEOS JC: Confira imagens de como ficou a cidade
O segurança Élido Vais, com 53 anos, que trabalhava sob a estrutura principal armada para a 12ª Festa do Peixe, acabou sendo atingido por barras de ferro, não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo, após ser atendido no Hospital Santo Antônio, de Tenente Portela. O hospital informou que Vais teve múltiplos traumas e duas paradas cardiorrespiratórias, falecendo ainda na noite de sábado. Outras pessoas ficaram feridas, mas sem gravidade, segundo a Defesa Civil do Estado. 
A festa começou nesse sábado (24). Na praça central e arredores, onde estavam a praça de alimentação e expositores, a maior parte das instalações vieram ao chão. A prefeitura da cidade divulgou nota cancelando a edição da festa e decretando luto de três dias, devido à morte do segurança e aos estragos que inviabilizaram o evento. O vendaval e chuva atingiram a localidade no fim da tarde de sábado.
"A maioria das pessoas se alojou no salão paroquial, ao lado da igreja. Se tivesse sido à noite, na hora dos shows, poderia ter ocorrido uma tragédia", diz o repórter do jornal O Alto Uruguai, Gustavo Menegusso. O vento atingiu a região onde fica a Praça Monsenhor Albino Ângelo Busato, justamente onde se concentravam as barracas da festa.
> Veja algumas imagens de como ficaram as instalações da Festa do peixe
No Hospital São Paulo, em Lagoa Vermelha, no nordeste gaúcho, pacientes foram removidos das alas que ficam na área onde a cobertura foi arrancada. A Defesa Civil estadual informou que, além do hospital, residências também foram destelhadas. A chuva e vento também atingiram moradias em Irai, Nonoai (norte) e Vacaria, na Serra Gaúcha. O órgão diz que as famílias atingidas estão recebendo assistência.
Neste domingo, os ventos fortes voltaram a ser registrados pelo Inmet, com 77 km/h em Vacaria, e 60 km/h em São José dos Ausentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia