Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Notícia da edição impressa de 20/03/2018. Alterada em 20/03 às 13h45min

La Niña vai antecipar frio neste outono

Folhas caídas, brisa leve e a promessa de dias mais frios e curtos marcarão estação

Folhas caídas, brisa leve e a promessa de dias mais frios e curtos marcarão estação


LUIZA PRADO/JC
Isabella Sander
Folhas caídas, brisa leve e a promessa de dias mais frios e curtos - esse cenário, todos sabem, anuncia a chegada do outono. Alguns o recebem de braços abertos, aliviados pelo fim dos tortuosos dias de calor intenso que, somados à umidade persistente no Rio Grande do Sul, trazem sensações térmicas por vezes difíceis de aguentar. Outros lamentam o fim do verão, as noites mais longas e a previsão de muitos meses sem banhos de mar ou piscina. Fato é que, gostando ou não, o outono chega, em todo o Hemisfério Sul, às 13h15min de hoje.
Segundo o Sistema Metroclima, da prefeitura de Porto Alegre, a estação terá influência durante boa parte do fenômeno La Niña, mesmo que este já esteja perdendo sua força. O fenômeno climático tem peso importante no comportamento da chuva e da temperatura para os próximos meses. As frentes frias serão as responsáveis pelas precipitações na Capital, e a chuva manterá a irregularidade do verão. O La Niña também antecipará as ondas de frio.
Fernando Lopes, meteorologista da Sala de Situação do governo do Estado, relata que o La Niña deve perder força entre abril e maio, mas ainda terá bastante impacto ao longo do outono. "No Rio Grande do Sul, é normal a entrada de massas de ar polares, até mesmo fortes, já no começo do outono. Como as massas do La Niña são secas, muitas vezes a chuva fica irregular, então pode chover um pouco menos do que o normal", afirma.
A tendência é que chova mais do que no verão, como de praxe no outono, mas menos do que em outros outonos. A estação também deve ser mais fria do que o usual. Com isso, a estiagem deve demorar um pouco mais para acabar.
Já sentido na segunda-feira, o declínio nas temperaturas também acontecerá hoje. O Instituto Nacional de Meteorologia prevê a ocorrência de pancadas de chuva e trovoadas isoladas nas regiões Oeste, Centro e Norte, e na Região Metropolitana. Não deve chover no Sul do Estado. As marcas ficarão entre 13 e 32 graus, muito abaixo dos 17 a 38,4 graus registrados no domingo. Também há alerta para chuvas volumosas na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia