Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 31 de março de 2018.

Jornal do Comércio

31/03/2018 - 18h51min.
Alterada em 31/03 às 18h51min
COMENTAR | CORRIGIR

Sites de comércio eletrônico falham na acessibilidade

Pesquisa analisou 15 lojas virtuais como da Americanas.com, Casas Bahia, Dafiti e Magazine Luiza

Pesquisa analisou 15 lojas virtuais como da Americanas.com, Casas Bahia, Dafiti e Magazine Luiza


FREEPIK/DIVULGAÇÃO/JC

Os sites de e-commerce mais acessados do Brasil não estão preparados para receber pessoas com deficiência visual, motora, intelectual, auditiva e/ou múltipla. É o que mostra o Estudo de Acessibilidade, feito pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias Web do NIC.br e o W3C Brasil. Foram analisadas 15 lojas virtuais como da Americanas.com, Casas Bahia, Centauro, Dafiti e Magazine Luiza.
Entre as barreiras enfrentadas estão descrição de imagens incompletas, incompreensíveis ou inexistentes, dificuldade de identificar o foco ao navegar por teclado e falta de opção de conteúdo em Libras ou avatar de tradução automática. Além disso, com zoom de 200%, o maioria dos sites se desconfigura.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patricia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.