Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo federal

Notícia da edição impressa de 14/02/2018. Alterada em 13/02 às 22h31min

'Oposição não existe para derrubar governo', diz Temer

Temer discursou durante reunião para discutir soluções para o problema dos venezuelanos

Temer discursou durante reunião para discutir soluções para o problema dos venezuelanos


BETO BARATA/PR/JC
O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou, na segunda-feira, em Boa Vista (RR), que oposição não deve existir para derrubar governos. Em discurso durante reunião para discutir soluções para o problema da entrada de venezuelanos no estado de Roraima, ele afirmou que a função dos opositores deve ser ajudar os governantes a "acertar o rumo".
"É importante a oposição, porque ela ajuda a governar. Oposição não existe para derrubar o governo", declarou Temer. De acordo com ele, em geral, a ideia de oposição que se tem é política, e não jurídica. O presidente afirmou que a oposição serve para criticar as "demasias" de um governo, para que o "sujeito que está no governo vá olhar aquilo e acertar o rumo".
Temer ressaltou a união de políticos da oposição em Roraima para encontrar soluções para o problema dos venezuelanos. E usou a declaração para dizer que sua ida ao Estado não teve motivações políticas. "Tenho mostrado, ao longo desse um ano e seis meses, que não tenho nenhuma preocupação politiqueira", declarou, ressaltando que, se tivesse, não teria tomado "medidas radicais", como o teto dos gastos públicos e as reformas do Ensino Médio e trabalhista.
O presidente citou também a reforma da Previdência, em tramitação no Congresso Nacional, afirmando que a proposta não terá resultado para seu governo e visa impedir que haja uma crise no Estado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia