Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Alterada em 12/02 às 15h12min

Temer é recebido com protesto em visita oficial a Roraima

Folhapress
A visita do presidente Michel Temer à sede do governo estadual de Roraima, nesta segunda-feira (12), enfrentou protesto. Em frente ao Palácio Senador Hélio Campos, um grupo de cerca de 60 manifestantes pediu a saída do emedebista e se manifestou contra a privatização da Eletrobrás.
O presidente, que participa de reunião sobre a situação dos refugiados venezuelanos, entrou pela entrada privativa, que fica nos fundos da sede do governo, e não passou pelo protesto.
A manifestação foi organizada por uma frente de entidades sindicais, como CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Sintauf (Sindicato dos Técnicos Administrativos da Universidade Federal de Roraima).
Além de cartazes com a inscrição "Fora Temer", um carro de som foi estacionado próximo ao palácio do governo e veicula críticas às reformas trabalhista e previdenciária.
"Nós não vivemos em uma democracia, mas em um período de golpe contra os trabalhadores. Cada dia é um direito a menos", disse Antonia Pedrosa, secretária estadual de combate ao racismo da CUT e uma das organizadoras do protesto.
Além do presidente, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), também foi criticado na manifestação. No caso dele, contudo, foi colocada também uma faixa agradecendo pelas suas realizações como senador.
O presidente participa de reunião para discutir ações que podem ser feitas pelo governo federal para amenizar o impacto no sistema de saúde do fluxo de imigrantes da Venezuela.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia