Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

11/02/2018 - 19h51min. Alterada em 11/02 às 19h53min

Luciano Huck usou empréstimo de R$ 17,7 milhões do Bndes para comprar jatinho

Assessoria de Huck declarou que Finame é um programa de incentivo à indústria nacional e por isso financia os aviões da Embraer

Assessoria de Huck declarou que Finame é um programa de incentivo à indústria nacional e por isso financia os aviões da Embraer


JONATHAN HECKLER/Arquivo/JC
Folhapress
O apresentador Luciano Huck usou, em 2013, um empréstimo de R$ 17,7 milhões do BNDES para comprar um jatinho particular da Embraer.
O financiamento, do programa Bndes Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos), teve como beneficiária a Brisair Serviços Técnicos e Aeronáuticos Ltda., da qual Luciano e Angelica Huck são sócios, e o Itaú como instituição financeira intermediária.
Os juros do empréstimo foram de 3% ao ano, com 114 meses de amortização para o pagamento.
A informação foi antecipada pelo blog Tijolaço. Procurada, a assessoria de Luciano Huck diz que "o Finame é um programa do Bndes de incentivo à indústria nacional, por isso financia os aviões da Embraer".
Afirma, também, que Huck usa o avião duas vezes por semana para gravar seu programa para a Rede Globo. A matrícula do avião é PP-HUC. Segundo o registro na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a nave comporta oito passageiros e pertence atualmente ao Itaú, sendo a Brisair sua operadora.
Em nota, o Bndes afirma que as condições seguiram as "definidas pelo Programa de Sustentação do Investimento (PSI), vigente à época, com taxas de juros fixas entre 3% a.a. e 3,5% a.a.". Segundo o banco, as taxas eram oferecidas a qualquer empresa que obtivesse financiamento para aquisição de máquinas e equipamentos.
Ainda de acordo com a nota, o processo de concessão de financiamento do Bndes Finame é realizado por meio de agentes financeiros credenciados, que podem ser bancos, cooperativas e agências de fomento, por exemplo. "O Bndes repassa os recursos para os agentes, que analisam o risco de crédito e decidem pela concessão do financiamento."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia