Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

05/02/2018 - 17h52min. Alterada em 05/02 às 17h52min

Papa recebe presidente turco para discutir status de Jerusalém

Pontífice se reuniu privadamente com Erdogan por cerca de 50 minutos em seu escritório

Pontífice se reuniu privadamente com Erdogan por cerca de 50 minutos em seu escritório


ALESSANDRO DI MEO/POOL/AFP/JC
Folhapress
O papa Francisco recebeu o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, nesta segunda-feira (5), para discutir o status de Jerusalém -a tensão na cidade aumentou desde que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a reconheceu como a capital de Israel. A visita de Erdogan, envolta por protestos, foi a primeira de um presidente turco ao Vaticano em 59 anos. O papa foi à Turquia em 2014.
O pontífice se reuniu privadamente com a autoridade turca por cerca de 50 minutos em seu escritório no Palácio Apostólico do Vaticano, usado principalmente por motivos cerimoniais. Em nota, o Vaticano informou que os dois conversaram sobre "a situação no Oriente Médio, com referência particular ao status de Jerusalém, evidenciando a necessidade de promover a paz e a estabilidade na região através do diálogo e da negociação, no respeito aos direitos humanos e à lei internacional".
O presidente turco e o papa Francisco são contrários à decisão de Trump. Ao final da reunião privada, Erdogan recebeu um medalhão de bronze que retrata "o anjo da paz que estrangula o demônio da guerra", segundo o pontífice. A obra do artista italiano Guido Verol, ainda de acordo com o papa, representa "um mundo baseado em paz e justiça".
As forças de segurança da Itália entraram em confronto com manifestantes no entorno do Vaticano durante o encontro. Os arredores do hotel de Erdogan e dos palácios onde ele se reunirá com o presidente e o premiê italianos ainda precisram ser isolados.
Os protestos contra Erdogan são motivados pela ofensiva da Turquia contra curdos na Síria, alvo de polêmica na comunidade internacional.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia