Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Alterada em 05/02 às 15h25min

Reunião de Macri e Tillerson termina sem decisão sobre Venezuela

Macri (d) e Tillerson Ambos teriam expressado temor diante da crise humanitária venezuelana

Macri (d) e Tillerson Ambos teriam expressado temor diante da crise humanitária venezuelana


ALBERTO RAGGIO/AFP/JC
Folhapress
Num encontro a portas fechadas e sem declarações à imprensa ao final, o presidente argentino, Mauricio Macri, recebeu na residência oficial de Olivos, em Buenos Aires, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson.
Segundo a assessoria de imprensa da chancelaria, os principais temas tratados foram a crise institucional venezuelana -que teria tomado o maior espaço de tempo dentro da reunião-, a organização da reunião do G-20, que ocorre no segundo semestre em Buenos Aires, e a participação de ambos os países na Cúpula das Américas, em abril, em Lima, além de temas relacionados ao comércio bilateral.
Não houve anúncios concretos, ainda que, em reunião no domingo (4) com o chanceler Jorge Faurie e outros ministros, Tillerson afirmou que trataria com os líderes latino-americanos de "formas de acelerar o fim da crise na Venezuela", e que entre as opções estudadas estavam sanções por meio da interrupção da compra de petróleo por parte dos Estados Unidos.
Ambos teriam expressado temor diante das consequências da crise humanitária deste país e seu impacto nos países vizinhos e na região. Tillerson também teria enviado cumprimentos a Macri por parte de Trump e elogiado a gestão do mandatário argentino.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia