Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

américa do sul

Notícia da edição impressa de 05/02/2018. Alterada em 04/02 às 20h21min

Governo dos EUA pede solução 'mais rápida'para a Venezuela

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse ontem, em Buenos Aires, que "não se pode tolerar que a Venezuela não seja uma democracia". "O povo venezuelano merece ser livre", disse, acrescentando que sua primeira viagem pela América Latina tem como intenção "buscar soluções que acelerem o fim da situação (venezuelana), porque a crise humanitária a está transformando em algo cada vez mais obscuro".
No dia 1, Tillerson havia sugerido a possibilidade de um golpe militar na Venezuela. O chefe da diplomacia norte-americana afirmou que, embora os EUA não estivessem estimulando uma "mudança de regime" em Caracas, o "mais fácil" seria se o presidente Nicolás Maduro deixasse o poder.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia