Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saneamento

Notícia da edição impressa de 14/02/2018. Alterada em 14/02 às 00h06min

Dmae busca causa de alteração no odor e gosto da água

Exames buscam identificar a ocorrência de algas ou cianobactérias

Exames buscam identificar a ocorrência de algas ou cianobactérias


FREDY VIEIRA/JC
O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) projeta divulgar, até a próxima sexta-feira, resultado de análises hidrobiológicas sobre a água que está sendo distribuída para as residências em Porto Alegre. Os exames buscam identificar a ocorrência de algas ou cianobactérias, que podem explicar o odor e o gosto ruins verificados, nas últimas semanas, na água potável da Capital.
De acordo com o órgão, foram registradas 80 reclamações a respeito nos canais oferecidos pela prefeitura. A maioria dos moradores da Capital associa as alterações a uma aparente presença de terra, o que aumenta a procura por água mineral e motiva moradores a ferver a água da torneira antes do consumo.
Desde a semana passada, o Dmae ampliou a adição de dióxido de cloro e iniciou a dosagem de carvão ativado no pré-tratamento da água. As medidas têm como objetivo amenizar as alterações, percebidas mais fortemente no entorno do Moinhos de Vento e em alguns bairros da Zona Norte.
Até o momento, o Guaíba não apresenta, nas proximidades de Porto Alegre, o tom esverdeado característico da floração de algas, cuja disseminação é o motivo mais comum para alterações no gosto e no cheiro do líquido. As condições típicas do verão, como a pouca chuva e a maior limpidez da água, são geralmente favoráveis à ocorrência dos organismos. Ainda assim, o Dmae garante que a água permanece potável e segura para consumo, atendendo aos parâmetros do Ministério da Saúde.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Sergio 14/02/2018 08h39min
Agora gostaria de saber se o nosso DMAE vai pagar o refil dos filtros de agua? Para ter uma agua sem cheiro e sabor de excrementos é necessário a troca semanal. Agora não tem a desculpa de "empresa poluidora".