O angolano Nguindo Cabral Neves, Jonas Halmenschlager e Leandro Leal trabalham no projeto Os bolsistas Nguindo Cabral Neves (da Angola), Jonas Halmenschlager e Leandro Leal trabalham na administração do CEUE Foto: MARCO QUINTANA/JC

Alunos de Engenharia da Ufrgs mantêm pré-vestibular aberto à comunidade

O custo da mensalidade é de R$ 65,00, que serve para pagar as bolsas dos professores

Um dos vestibulares mais concorridos do País, o da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), acabou de passar, mas já tem gente se preparando para o próximo. A edição desse ano teve cerca de 32 mil inscritos. Como o sonho de entrar na federal ou de conseguir uma bolsa é de muitos, haja estudo. Para ajudar quem precisa de reforço, os alunos da Engenharia da Ufrgs criaram o curso pré-vestibular CEUE-PV. As inscrições seguem até o dia 9 de fevereiro.
CEUE significa Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia da Ufrgs. O cursinho nasceu em 1955, com enfoque social, e a intenção atual é garantir a atenção de mais interessados. “Quando o curso nasceu, o objetivo era dar aula e oportunidade para que alunos de baixa renda entrassem na faculdade. A Ufrgs, naquela época, era frequentada somente por pessoas brancas e com uma alta aquisição financeira, então o objetivo principal dele foi dar oportunidade para essas pessoas”, conta o presidente do CEUE, Jonas Halmenschlager.
Os professores são os próprios alunos da Engenharia, que passaram pela experiência de desbancar uma dezena de concorrentes no vestibular. Entre titulares e professores de reforço ou substitutos, são 21. Os titulares recebem uma bolsa, como qualquer outro projeto de extensão, já os outros fazem um trabalho voluntário, e muito desses voluntários acabam virando professores titulares com o tempo. “O fato é que isso move todos os alunos. É o projeto de extensão preferido da galera”, comenta o presidente do CEUE.
A inscrição é feita de forma on-line (aqui), diferentemente dos anos interiores. Além da inscrição, os selecionados passam por uma prova ao estilo do Enem, com perguntas objetivas e uma redação. A prova custa R$ 20,00 e 1Kg de alimento – ou apenas R$ 25,00. O cursinho tem uma mensalidade simbólica de R$ 65,00, valor que serve para pagar a bolsa dos professores e os demais bolsistas do CEUE. As aulas acontecem em dois turnos, tarde ou noite, e, caso o aluno precise de uma ajuda extra, são oferecidas aulas de reforço no turno inverso da matrícula.
Segundo Jonas, a média de aprovação de alunos no vestibular é de 50%. Cada turma tem cerca de 240 estudantes. Só no ano passado foram 1 mil inscritos.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio