Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mineração

Alterada em 16/02 às 11h27min

Vale tem em 2017 produção recorde de 366,5 milhões de toneladas de minério de ferro

Já as vendas de minério de ferro em 2017 registraram leve recuo de 0,7%

Já as vendas de minério de ferro em 2017 registraram leve recuo de 0,7%


VALE/DIVULGAÇÃO/JC
A Vale alcançou produção recorde de minério de ferro no ano passado ao atingir um volume de 366,5 milhões de toneladas, próxima do piso do intervalo da meta, que ia de 360 milhões de toneladas a 380 milhões de toneladas. Na comparação com 2016 a produção da commodity cresceu 5,1%, conforme o relatório de produção da companhia.
O recorde da produção de minério de ferro, destacou a mineradora brasileira em seu relatório de produção, ocorreu principalmente por conta do aumento de produção do projeto S11D, que teve início no fim de 2016. A companhia destaca que o cronograma segue conforme o planejado.
A Vale frisa que a produção ficou perto do piso de seu guidance porque houve redução dos volumes de produção do minério de alta sílica, que é aquele de mais baixa qualidade, nos Sistemas Sul e Sudeste, diante da estratégia da companhia de maximizar suas margens.
Para 2018 a Vale confirmou, no mesmo documento, sua projeção de produzir em torno de 390 milhões de toneladas de minério de ferro, como havia divulgado em dezembro do ano passado.
Já as vendas de minério de ferro em 2017 registraram leve recuo de 0,7% para 291,329 milhões de toneladas. Levando-se em conta apenas os dados do último trimestre do ano passado, a produção de minério de ferro pela Vale somou 93,361 milhões de toneladas, aumento de 1,1% na relação anual e queda de 1,8% ante o trimestre imediatamente anterior. Já as vendas no trimestre em questão somaram 79,958 milhões de toneladas, queda de 3,1% ante o quarto trimestre de 2016, porém aumento de 4,1% ante o terceiro trimestre do mesmo ano.
Os volumes de minério "blendado" da Vale, que são aqueles em que minério de mais alta qualidade é misturada com de mais baixa qualidade, na Ásia, totalizaram 66,2 milhões de toneladas no ano passado, volume 24,9 milhões de toneladas superior ao visto em 2016. Essa tem sido outra estratégia que a Vale tem utilizada para aumentar suas margens e o produto tem sido muito bem aceito no mercado asiático.
No quarto trimestre do ano, o teor médio de minério de ferro da Vale foi de 64.3%, um pouco maior do que os 64,1% do observado no trimestre imediatamente anterior, principalmente devido ao maior volume vindo do projeto S11D e também por conta da diminuição do produto de alta sílica.
O Sistema Norte contribuiu no quarto trimestre com 46,683 milhões de toneladas do volume produzido de minério de ferro da Vale no período, de 93,361 milhões de toneladas. Desse total, 38,955 milhões de toneladas vieram de Carajás, mas o projeto S11D já respondeu por 7,728 milhões de toneladas no período.
A produção de pelotas da Vale no ano passado somou 50,3 milhões de toneladas, aumento de 8,8% ante o ano anterior. No quarto trimestre a produção foi de 12,898 milhões de toneladas, aumento de 2,2%.
Já as vendas de pelotas foram de 51,775 milhões de toneladas no ano passado, alta de 8,5% no comparativo anual. No quarto trimestre as vendas de pelotas somaram 13,579 milhões de toneladas, alta de 2,9%.
A produção de níquel da Vale no ano passado somou 288,2 mil toneladas, recuo de 7,3% ante o visto um ano antes, informou a mineradora brasileira em seu relatório de produção. As vendas no ano caíram 5,3% para 294,6 mil toneladas. No ano passado, a produção de níquel ficou em linha com o guidance da Vale.
Já no quarto trimestre do ano passado a produção de níquel somou 78 mil toneladas, queda de 6% na relação anual, porém aumento de 7,3% no comparativo trimestral. As vendas no mesmo intervalo chegaram em 79,8 mil toneladas, recuo de 3,6% ante o observado no mesmo período de 2016 e aumento de 11,9% ante o terceiro trimestre.
Recentemente o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse que Eduardo Bartolomeu, que chegou a Vale para chefiar a área de metais básicos, terá como desafio fazer o turnaround de níquel. Schvartsman já anunciou que a companhia busca, por exemplo, um investidor minoritário para VNC.
A produção de cobre pela Vale no quarto trimestre do ano passado somou 113,5 mil toneladas, recuo de 6% ante o anotado no mesmo intervalo do ano anterior. Em relação ao trimestre imediatamente anterior a queda foi de 2,9%. No ano a produção de Vale alcançou 438,5 mil toneladas, retração de 1,6%. O volume ficou em linha com o guidance divulgado pela companhia.
Já as vendas de cobre nos últimos três meses do ano passado somaram 110,5 mil toneladas, queda de 3,7% na relação anual e leve aumento de 0,3% ante os três meses anteriores. No ano as vendas chegaram em 423,8 mil toneladas, queda de 1,4% ante o anotado em 2016.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia