Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 13/02 às 09h29min

Bolsas da Europa operam sem direção única, à espera da inflação britânica

As principais bolsas da Europa abriram em alta, mas perderam o fôlego minutos após o início do pregão. O sinal é o mesmo partilhado pelos futuros de Nova Iorque. Os investidores do continente aguardam os números da inflação ao consumidor do Reino Unido, que saem às 7h30min (de Brasília), para firmar apostas mais consolidadas.
Os analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires projetam que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) desacelere do nível anual de 3,0% observado em dezembro para 2,9% em janeiro. A expectativa dos agentes do mercado é de que os números da inflação britânica deem um direcionamento mais claro para a política monetária do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), que na semana passada deixou a porta aberta para dois aumentos de juros no país este ano, bem como emitam um sinal para os movimentos dos demais bancos centrais pelo mundo.
"O aumento da inflação é algo em que os investidores globais estão muito focados nestes dias e será interessante ver se a liquidez continuará ou não em ativos de risco, já que o mercado reconhece a implicação de taxas mais altas globalmente como uma pressão sobre nas ações", escreveram, em nota, os analistas da corretora britânica LMAX Exchange.
Com a cautela predominante, os mercados estavam próximos dos ajustes da véspera. A Bolsa de Londres ainda encontrava algum respiro e subia 0,18%, para 7.189,80 pontos, às 6h48min (de Brasília). O mesmo ocorria em Lisboa, que avançava 0,33%, para 5.391,14 pontos. Nas demais praças europeias, o sinal era negativo. No mesmo horário, a Bolsa de Paris recuava 0,10%, Frankfurt perdia 0,30%, Madri cedia 0,29% e Milão perdia 0,38%.
Os futuros de Nova Iorque também estavam no vermelho: Dow Jones perdia 0,56%, S&P 500 cedia 0,50% e Nasdaq recuava 0,44%. No caso dos EUA, os investidores também aguardam os números da inflação de janeiro, que serão divulgados no final da manhã desta quarta-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia