Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Inovação

Notícia da edição impressa de 12/02/2018. Alterada em 11/02 às 22h21min

Solução ajuda na gestão de campanhas eleitorais

Robô envia os recibos eleitorais para o doador, cumprindo com as exigências pela Justiça

Robô envia os recibos eleitorais para o doador, cumprindo com as exigências pela Justiça


ESSENT JUS/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
As maiores exigências da Justiça Eleitoral e da Receita Federal somadas à experiência geralmente ruim dos processos de doação de filiados e simpatizantes às campanhas eleitorais inspiraram a startup gaúcha Essent Jus a criar uma plataforma inédita de prestação de contas para os partidos políticos.
A solução foi automatizar a prestação de contas, que agora, dependendo do caso, passou a ser feita em menos de 20 minutos. Todos os documentos referentes ao partido ficam centralizados em um único local, através de um sistema 100% on-line. Basta tirar fotos ou digitalizar os documentos e fazer o upload na plataforma.
O CEO da Essent Jus, Guilherme Sturm, comenta que o modelo de negócios criado pela empresa é inédito. Isso porque tanto o atendimento quanto as movimentações - como envio de documentos digitalizados, controle de receitas e gastos, análise, auditoria, vinculação com os movimentos bancários - acontecem de forma virtual por meio da plataforma. "É um serviço 100% na nuvem, e tudo é feito em conformidade com as regras eleitorais, gerando maior transparência a todo o processo", conta.
De acordo com Sturm, a intenção da startup foi criar uma solução que colabore tanto para a melhora da experiência de doar por parte do filiado, quanto na automatização do processo de controle e transparência por parte do político ou de seu partido. "Acreditamos que o verdadeiro exercício da democracia passa pelo apoio das ideias do candidato que a pessoa espera votar. Esperamos que os recursos públicos investidos em campanhas e partidos sejam utilizados de maneira correta e que os políticos aprendam fazer gestão pública dentro de seus partidos e tenham ferramentas para isso", analisa. A plataforma oferece suporte on-line aos clientes, o que permite ao partido acompanhar de perto todo processo em tempo real.
Já que com as mudanças nas regras eleitorais os partidos não podem mais contar com o investimento pesado de empresas e pessoas jurídicas, a startup criou um Robô de Arrecadação, que estimula a doação virtual de filiados e simpatizantes. O sistema está acoplado a esta plataforma e facilita que o filiado faça a doação por smartphone ou por computador. "O robô envia os recibos eleitorais para o doador, cumprindo com as exigências determinadas pela Justiça Eleitoral. Ao final de cada ano, ela recebe um extrato das doações que fez para declarar no Imposto de Renda", explica Sturm. Além disso, essa doação é lançada automaticamente na prestação de contas do candidato.
Por meio da base de dados do partido, é possível entrar em contato com os filiados, seja por e-mail ou SMS, além de poder compartilhar um link para doação pelas redes sociais e outros aplicativos de comunicação. Quem quiser contribuir não terá restrição de banco. Podem-se doar pequenos valores, seja pelo cartão de crédito ou boleto, até mesmo pelo smartphone, com recibo eleitoral e observando todas as exigências legais.
A Essent Jus cresceu mais de 1.500% em 2017 em número de clientes e já conta com 14 siglas partidárias em seis estados brasileiros. Para este ano de eleição, a meta da empresa é faturar R$ 4 milhões. A empresa tem aporte financeiro da Wow Aceleradora, de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia