Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Combustíveis

09/02/2018 - 10h28min. Alterada em 09/02 às 18h22min

Petróleo opera em baixa, diante da cautela ante aumento na produção dos EUA

Índice para março caía 1,10%, a US$ 60,48 o barril

Índice para março caía 1,10%, a US$ 60,48 o barril


AG/DIVULGAÇÃO/JC
O petróleo opera com sinal negativo nesta sexta-feira (9), com investidores ainda concentrados no avanço da produção dos Estados Unidos. Além disso, influi para o mau humor a fraqueza dos mercados acionários nos últimos dias.
Às 10h05min (de Brasília), o petróleo WTI para março caía 1,10%, a US$ 60,48 o barril, na Nova Iorque Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para abril tinha queda de 0,73%, a US$ 64,34 o barril, na ICE. O Brent recua quase 6% ao longo desta semana.
Na avaliação de Eugen Weinberg, diretor de pesquisa em commodities do Commerzbank, o petróleo opera em baixa por causa da realização de lucros, impulsionada pelo fato de o Brent ter superado US$ 70 o barril ao longo do último mês. "O momento para isso provavelmente tem a ver com a especulação e com um mercado excessivamente aquecido", diz Weinberg, que prevê a manutenção da tendência de baixa.
Até recentemente, os preços do petróleo eram impulsionados pelos cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e por outros grandes nomes do setor, como a Rússia. Agora, os fundamentos do mercado têm mudado, já que as altas nos preços levaram a uma maior produção, segundo alguns analistas. A alta na produção dos EUA, sobretudo, tem pressionado os contratos.
A fraqueza do petróleo também ocorre em meio a uma onda de vendas nos mercados acionários, com investidores temerosos sobre o potencial de inflação mais alta e aperto monetário em alguns bancos centrais importantes.
Mais tarde nesta sexta-feira (9), às 16h, a Baker Hughes divulga relatório semanal de poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA. O número é um indicativo da atividade no setor. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia