Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 08/02 às 22h07min

Comitiva pede que decisão sobre UTE Rio Grande saia em março

Uma comitiva gaúcha solicitou ontem, em Brasília, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aguarde até o mês de março para deliberar sobre a reativação, ou não, da outorga de construção da Usina Termelétrica de Rio Grande (UTE Rio Grande). Segundo o governo do Estado, o Grupo Bolognesi e a New Fortress Energy deverão entregar, até lá, documentação solicitada pela Aneel.
A autorização para construção havia sido concedida ao Grupo Bolognesi em 2014, mas foi suspensa devido às dificuldades que a empresa apresentou para cumprir o cronograma de execução do trabalho. Após a empresa norte-americana New Fortress Energy ter manifestado interesse em assumir o projeto, o governo do Estado abriu negociações com a Aneel para que a decisão de suspender a outorga fosse revista. "Até março, o Grupo Bolognesi e a New Fortress Energy deverão reunir a documentação solicitada pela Aneel. Até que isso ocorra, pedimos que o assunto não fosse tratado pelo colegiado da Agência", diz o secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Branco, que esteve na reunião com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino.
A UTE Rio Grande terá capacidade para gerar 1/3 da energia que o Estado consome e tem investimento avaliado em R$ 3 bilhões.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Comitiva pede que decisão sobre UTE Rio Grande saia em março - Jornal do Comércio
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 08/02 às 22h07min

Comitiva pede que decisão sobre UTE Rio Grande saia em março

Uma comitiva gaúcha solicitou ontem, em Brasília, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aguarde até o mês de março para deliberar sobre a reativação, ou não, da outorga de construção da Usina Termelétrica de Rio Grande (UTE Rio Grande). Segundo o governo do Estado, o Grupo Bolognesi e a New Fortress Energy deverão entregar, até lá, documentação solicitada pela Aneel.
A autorização para construção havia sido concedida ao Grupo Bolognesi em 2014, mas foi suspensa devido às dificuldades que a empresa apresentou para cumprir o cronograma de execução do trabalho. Após a empresa norte-americana New Fortress Energy ter manifestado interesse em assumir o projeto, o governo do Estado abriu negociações com a Aneel para que a decisão de suspender a outorga fosse revista. "Até março, o Grupo Bolognesi e a New Fortress Energy deverão reunir a documentação solicitada pela Aneel. Até que isso ocorra, pedimos que o assunto não fosse tratado pelo colegiado da Agência", diz o secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Branco, que esteve na reunião com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino.
A UTE Rio Grande terá capacidade para gerar 1/3 da energia que o Estado consome e tem investimento avaliado em R$ 3 bilhões.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia