Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 09/02 às 09h37min

Gol planeja atuar em voos regionais para cinco cidades gaúchas em 2018

Linhas seriam operadas em parceria com a empresa Two Flex

Linhas seriam operadas em parceria com a empresa Two Flex


/RODRIGO SARASOL/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti
O governo anunciou, nesta quinta-feira, que o Rio Grande do Sul poderá ter, já a partir de março, cinco voos regionais. No entanto a promessa precisa ser vista com certa reserva. De acordo com o Palácio Piratini, a Gol solicitou a adesão da companhia ao Programa Estadual de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR-RS) e poderia operar, já a partir do próximo mês, cinco novas rotas, ligando Porto Alegre a Rivera/Santana do Livramento, Bagé, Passo Fundo, Rio Grande e Santa Cruz do Sul. Os voos seriam feitos em parceria com a empresa de táxi aéreo Two Flex.
Apesar de a Two Flex já ter recebido, em novembro de 2017, a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para fazer o transporte aéreo regular de passageiros no âmbito da aviação regional, a operação seria mesmo de responsabilidade da Gol, segundo a Two Flex. Procurada, a Gol informou que, no momento, apenas faz uma sondagem de mercado, e não confirma prazos para começar a operação. Em comunicado ao Jornal do Comércio, a Gol afirma que realiza estudos para ampliar sua atuação regional em 2018, aumentando as opções já oferecidas atualmente, e que estuda a possibilidade de firmar parcerias com companhias aéreas de menor porte para realizar estas operações, "porém esclarece que, neste momento, não há novidades sobre novos destinos regionais".
O assunto, de acordo com deputado estadual (PP) Frederico Antunes, vem sendo tratado há mais de seis meses em reuniões com Secretaria Nacional da Aviação, Secretaria dos Transportes, Frente Parlamentar da Aviação e nos demais órgãos do governo do Estado. "No final do ano passado, tivemos excelentes avanços e, hoje, foi mais um passo, por meio da solicitação da Gol em aderir ao Programa Estadual de Desenvolvimento da Aviação Regional", afirmou Antunes. 

Quem é a Two Flex

A empresa é proprietária de 18 aeronaves Cessna Gran Caravan, com capacidade para até 12 passageiros ou 1,9 mil quilos de carga.
No Rio Grande do Sul, a Two Flex atuaria como feeder (alimentadora) da Gol, por meio de contrato de operação complementar, a exemplo do que ocorre em outros países.
A empresa pode ampliar para todo o País os serviços de aviação regional, que já desenvolve em Minas Gerais, atuando na complementação de voos comerciais, diretamente ou em parceria com as companhias aéreas.
Desde 2016, é responsável pela operação das rotas do Voe Minas Gerais, programa da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) que interliga 17 cidades mineiras, com passagens custando entre R$ 130,00 e R$ 800,00 por trecho. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia