Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 08/02 às 22h06min

Ibovespa cai 1,49%, e dólar sobe 0,15%

O Ibovespa operou por mais um dia sob a influência do mau humor dos mercados acionários dos Estados Unidos, onde os olhares dos investidores se voltam para as possibilidades de um aperto monetário mais forte. O índice à vista abriu a sessão de negócios desta quinta-feira em alta e, tentando recuperar as perdas da véspera, testou o patamar dos 83 mil pontos. Mas, na segunda etapa do pregão, virou para o negativo e começou a imprimir perdas conforme seus pares em Nova Iorque se deterioravam. Fechou em baixa de 1,49%, aos 81.532 pontos. O giro financeiro foi de R$ 11,3 bilhões.
No meio da tarde, o Ibovespa operava em queda moderada, mas passou a registrar sucessivas mínimas espelhando Wall Street, que recuava após declarações do presidente da distrital de Nova Iorque do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), William Dudley, dizendo que a precificação do mercado sobre o aperto monetário estava correta.
O nervosismo dos mercados internacionais e a proximidade do feriado de Carnaval no Brasil incentivaram o investidor a buscar posicionamento defensivo, o que manteve o dólar em alta ante o real. Ao final dos negócios no mercado à vista, o dólar foi cotado a R$ 3,2795, com ganho de 0,15%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia