Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

CORRIGIR

cinema

Alterada em 12/02 às 23h20min

Venda de empresa de Harvey Weinstein está em discussão

Weinstein nega acusações de sexo não consensual

Weinstein nega acusações de sexo não consensual


YANN COATSALIOU/AFP/JC
Uma proposta de venda da The Weinstein Co. está em discussão depois que o procurador-geral de Nova Iorque apresentou um processo argumentando que qualquer acordo teria que incluir garantias de compensação financeira para mulheres assediadas ou abusadas pelo co-fundador Harvey Weinstein.
O processo, apresentado no domingo (11), acusa o produtor de filmes de assédio sexual contra as empregadas "repetidamente e persistentemente", em violação do leis estaduais. O escritório do procurador-geral disse que o processo foi apresentado em parte devido a relatos de uma venda iminente da empresa de cinema a um grupo de investidores liderado por María Contreras-Sweet, que era a responsável pela Agência Federal para Pequenas e Médias Empresas, durante a presidência de Barack Obama.
Weinstein negou repetidamente qualquer acusação de sexo não consensual. Seu advogado emitiu um comunicado dizendo que qualquer reclamação contra o cliente "falta de mérito".
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia