Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 08/02 às 22h44min

Mercosul nos matando

Heinze se reuniu com Henrique Meirelles

Heinze se reuniu com Henrique Meirelles


MARIANA CARLESSO/JC
A produção nacional de arroz, trigo e leite vem sendo bastante afetada pelo livre comércio entre os países do Mercosul. O bloco comercial atinge principalmente os produtores de arroz do Brasil. O deputado federal gaúcho Luis Carlos Heinze (PP) e o deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC) estiveram com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), a quem relataram "a situação de premência" do arroz brasileiro. Fizeram também um balanço dos problemas que os produtores de trigo e leite enfrentam com a situação. "Mostrei ao ministro que, se eu pegar o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e tem uns 30 mil hectares de arroz no Paraná, esses três estados produzem 90% do arroz produzido no Brasil, e que estão sendo fortemente atingidos pelo Mercosul", assinalou Heinze.
Produção de trigo e leite
Da mesma forma, o Paraná é quem planta mais trigo. O Rio Grande do Sul é o segundo maior produtor do Brasil e tem um pouquinho de trigo em Santa Catarina, avalia Heinze, acrescentando que também 90% do trigo nacional é produzido nestes estados, que, segundo o deputado, produzem também a metade do leite do Brasil.
Comprar do outro lado
O parlamentar explica que "o que eu coloquei para o ministro é que o Brasil não vai trancar a entrada do leite, do arroz e do trigo do Mercosul. O que nós queremos é a possibilidade de comprar os defensivos, os fertilizantes, as peças, as máquinas, e o diesel, do outro lado, onde tudo é mais barato".
Reunião com a Camex
A ideia do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), é fazer uma reunião com a Camex, a Secretaria-Executiva da Câmara de Comércio Exterior, para definir este assunto. Luís Carlos Heinze disse que vai levar as entidades para apresentar a situação dos produtores brasileiros. Ele defende que o ministro da Indústria e Comércio também integre esse grupo para avaliar a situação dos produtores. "Aguardamos, agora, a data da reunião com a Camex", finalizou o deputado gaúcho
Escoamento da produção
Nesta sexta-feira, anuncia Heinze, vai ser publicado o edital em que serão anunciadas as 300 mil toneladas do Prêmio de Escoamento da Produção do arroz. São 270 mil para o Rio Grande do Sul e 30 mil para Santa Catarina, que enfrenta dificuldades com a invasão dos produtos dos países que integram o bloco do Mercosul.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia