Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 09/02/2018. Alterada em 09/02 às 16h54min

Evoé Momo!

CLEITON THIELE/SERRAPRESS/DIVULGAÇÃO/JC
O Carnaval dos bons tempos morreu, mas não morreu. Em muitas cidades, há um esforço para voltar aos bons tempos do tríduo momesco sem o festival publicitário em que hoje ele se transformou. A prefeitura de Gramado promove quatro dias de folia, com foco no resgate dos bailes de Carnaval e suas fantasias - a foto é do ano passado.

Os dois medos

A economia capitalista e seus reflexos nos mercados, especialmente o bursátil, tem lá suas singularidades. Quando vai mal, causa turbulência e queda geral de commodities e ações; quando vai bem, caso de hoje no mundo e nos Estados Unidos, também causa terremotos. Como diz a The Economist, o crescimento global dinâmico faz com que a inflação substitua a estagnação como maior medo dos investidores. 

Esse é galo!

Reconhecido pelo Guinness como o maior bloco de Carnaval do mundo, o Galo da Madrugada, de Recife (PE), celebra 40 anos neste sábado com um grandioso cortejo, com 30 trios elétricos. A cidade aguarda 2 milhões de foliões, nacionais e estrangeiros. Quando começou, em 1978, reuniu 77 pessoas. 

Erro repetido

Quando surgiram os primeiros resultados das investigações do caso do esquartejamento de duas crianças, investigações que hoje sabemos que eram fajutas, a página comentou que tudo teria que ser muito bem avaliado para não repetir os erros de caso similar ocorrido no interior de Estância Velha. Neste, novamente foram cometidas injustiças que destruíram a vida dos acusados. Um caso de automutilação virou ritual satânico. Agora, a história se repete. 

Por falar em repetição...

...para azar dos acusados, que levarão essa pecha por toda a vida, mesmo que não tenham nenhuma culpa em cartório. É aquela coisa de penas ao vento. O ser humano é o único animal que cai no mesmo buraco duas vezes. 

Os Poderes no liquidificador I

Digamos que um gaúcho resolvesse contar algumas histórias do Estado para um país que pouco conhece o Rio Grande do Sul. Quando ele contasse que alguns deputados recalcitrantes da oposição, derrotados por 30 a 18, não se conformaram e apelaram à Justiça para rever a votação, tendo feito isso pela segunda vez em uma semana, seria tachado de fantasioso. 

Os Poderes no liquidificador II

O mais espantoso é que os que querem entrar na Justiça sequer votaram contra o projeto do Regime de Recuperação Fiscal, se abstiveram de votar para não dar "legitimidade". Com as repetidas ações, parece até que jogaram os Poderes num liquidificador para misturar tudo. No Brasil de hoje, faz-se política com o fígado. Que sempre foi um péssimo conselheiro.

Fecha, mas não fecha

A executiva nacional do PSDB decidiu reafirmar o fechamento de questão e orientou que os 46 deputados federais da legenda votem pela aprovação da reforma da Previdência. Mas quem votar contra não terá nenhuma sanção. Já não se faz mais fechamento de questão como antigamente.

Historinha de sexta

Em meados dos anos 1960, os desfiles de Carnaval de rua em Porto Alegre eram na avenida Borges de Medeiros. O momento culminante acontecia na hoje Esquina Democrática, porque o caminhão da externa da TV Piratini transmitia ao vivo na Rua da Praia. Então, os blocos, as escolas de samba e as tribos caprichavam para aparecer na televisão.
Uma das tribos apresentou como enredo o caso de amor entre o Sol e a Lua. No palco do tosco carro, o Sol fazia evoluções enquanto a Lua dormia e vice-versa.
Só que houve um fator etílico que complicou. O Sol, que havia bebido muito cauim, não acordou na hora devida, meio que desmaiou. Desesperada, a Lua fazia evoluções e disfarçadamente encheu a retaguarda do astro rei com chutes para ressuscitá-lo, o que levou um bocado de tempo.
Para piorar, os caras que seguravam o carro se distraíram e ele desceu a lomba. Só conseguiram pará-lo na altura da Guaspari. 

Miúdas

O QUE é o avanço da medicina. Faustão fez angioplastia, recebeu dois stents e já voltou ao batente.
FOSSE há uma década e meia atrás, seriam safenas e pelo menos um bom tempo de molho.
PARECE incrível, mas alguns e-mails maliciosos que inauguraram a captura de dados ainda estão voando até hoje.
CHALÉ da Praça XV promete ficar aberto durante todo o Carnaval.
LEITORES queixam-se da alta velocidade imprimida pelos motoristas e motoqueiros na avenida Princesa Isabel.
BITCOINS pagam Imposto de Renda? Só quando revendidos com lucro. Em cima dele, alíquota camarada de 15%.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia