Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

JC Logística

CORRIGIR

setor automotivo

Notícia da edição impressa de 08/02/2018. Alterada em 07/02 às 17h56min

Importação de elétricos e híbridos terá redução de IPI

Fusion Hybrid, da Ford, é um dos modelos disponíveis no mercado brasileiro que serão beneficiados

Fusion Hybrid, da Ford, é um dos modelos disponíveis no mercado brasileiro que serão beneficiados


FORD/FORD/DIVULGAÇÃO/JC
O ministro interino da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, confirmou que o governo vai publicar, nos próximos dias, medida que reduz para 7% o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros elétricos e híbridos, mesma taxa cobrada atualmente de modelos 1.0 (antes chamados de populares).
Atualmente, os poucos modelos híbridos disponíveis no País, como o Toyota Prius, que vendeu 2,4 mil unidades em 2017, recolhem 13% de IPI. Carros elétricos pagam 25%, percentual máximo na escala do imposto, o mesmo que importados com motor acima de 2.0.
Com a redução, calcula-se que modelos híbridos (com bateria e motor à combustão) ficarão em média R$ 9 mil mais baratos e os elétricos, entre R$ 10 mil a R$ 15 mil. O Prius, vendido a R$ 126 mil, terá o preço reduzido para pouco menos de R$ 100 mil.
O presidente da Toyota para América Latina e Caribe, Steve St. Angelo, afirma que a tecnologia híbrida - que permite ao automóvel rodar com eletricidade gerada por outro combustível - será a base para novas tecnologias, como os modelos 100% elétricos e os autônomos.
No caso do Brasil, ele defende o uso do etanol para gerar a energia do carro híbrido. "Estamos prontos para testar esse novo veículo com tecnologia desenvolvida no Brasil, por engenheiros brasileiros", afirma o executivo. Em março, a Toyota promoverá uma viagem de São Paulo a Brasília com o Prius a etanol no lugar da gasolina, como ocorre com a versão importada.
Outro benefício está em tramitação para taxistas e pessoas com deficiência, que podem ficar isentas do Imposto Sobre Produtos Industrializados para carros híbridos e elétricos.
A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal examina o texto do Projeto de Lei (PL) que também libera o financiamento desses veículos do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Se aprovado, o PLS 780/2015, de autoria do senador Jorge Viana (PT-AC), será encaminhado para a Câmara dos Deputados.
Viana argumenta que, além de beneficiar taxistas e pessoas com deficiência, o projeto visa estimular o segmento de híbridos e elétricos. "Faltam incentivos para impulsionar a aquisição e a fabricação desses veículos no Brasil." Para o senador, a concessão de isenções a taxistas também é uma forma de ampliar a divulgação a toda a população sobre esses carros.
Atualmente, ainda há poucas opções de veículos híbridos e elétricos no mercado brasileiro. Algumas alternativas hoje são o Toyota Prius (vendido por R$ 126 mil), o Lexus CT, modelo da divisão de carros de luxo da mesma montadora, vendido no País por R$ 135,7 mil e o Ford Fusion Hybrid (R$ 160,9 mil). A BMW comercializa o compacto i3, por R$ 159,9 mil, e o i8, esportivo híbrido plug-in, por R$ 799,9 mil.
 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia