Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

CORRIGIR

LEITURA

Notícia da edição impressa de 07/02/2018. Alterada em 06/02 às 16h56min

Relação entre Instituições e Economia

As instituições existem para reduzir a incerteza nas interações humanas: são restrições informais e formais criadas para estruturar as trocas entre as pessoas, de acordo com Douglass C. North, um dos fundadores da nova economia institucional e Prêmio Nobel de Economia em 1993. São sobre estes pilares sociais e econômicos que o novo livro de North expõe a estreita relação entre o desempenho das economias e “as regras do jogo numa sociedade” que “mais formalmente representam os limites estabelecidos pelo homem para disciplinar as interações humanas”, como categoriza Douglass C. North.
Mas será que a diferença entre as instituições explica o sucesso de algumas economias e o fracasso de outras? Quais as definições institucionais que atrasam a vida em sociedade e quais impulsionam positivamente? Por que os EUA se tornaram uma potência econômica, enquanto a economia das nações latino-americanas, entre elas o Brasil, permanece tão ineficiente? Para o autor do livro, as instituições definem e limitam a quantidade de escolhas dos indivíduos, suas mudanças impactam diretamente setores econômicos. Em alguns casos, a prosperidade é estimulada, mas na maioria deles o resultado é estagnação, de acordo com a obra.
Ao longo da leitura é exposto o condicionamento social e econômico de qualquer escolha humana às regras de convivência estipuladas e sedimentadas por atores e setores da sociedade. “Sob que condições a cooperação voluntária pode existir sem a solução Hobbesiana da imposição de um Estado coercitivo para criar soluções cooperativas? ”, indaga o autor. North frisa que crescimento econômico atua dentro da moldura institucional de políticas coercitivas, por isso a importância de compreender a motivação destas políticas e de seus criadores.
Instituições, Mudança Institucional e Desempenho Econômico já é considerado um dos mais inovadores estudos de história econômica das últimas décadas. As questões levantadas pelo autor são de extrema importância no debate sobre as organizações sociais, formadas através de construções morais, estereótipos, sistemas econômicos, legais e todas outras formas de controle social.
Instituições, Mudança Institucional e Desempenho Econômico; Douglass C. North; Editora Três Estrelas; 256 páginas; R$ 49,90
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia