Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 09/01 às 15h34min

MBL fará festa se ocorrer condenação de Lula no TRF

Evento está programado para o Parque Moinhos de Vento, que virou local de protestos anti-PT

Evento está programado para o Parque Moinhos de Vento, que virou local de protestos anti-PT


CLAITON DORNELLES/JC
Paulo Egídio
Enquanto apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se programam para acompanhar o julgamento do petista no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em Porto Alegre, o Movimento Brasil Livre (MBL), uma das principais forças antipetistas no País, também realizará manifestações em Porto Alegre no dia 24 de janeiro.
Assim como os partidários do ex-presidente, lideranças do grupo se concentrarão perto do tribunal durante o julgamento, que começa às 8h30min. "Lutamos há anos por esse dia e já estamos montando os equipamentos. Teremos estruturas diferentes e criativas", diz o coordenador do movimento no Rio Grande do Sul, Pedro Franco, sem detalhar o que será feito. De acordo com o dirigente, o movimento não está realizando uma convocação em larga escala, pois, neste caso, a "pressão social não será um diferencial". "A decisão (dos desembargadores) já está tomada. Não adianta ir lá para frente (do TRF-4) que não vai mudar", justifica Franco.
Mobilização maior está prevista para as 18h do dia 24, no parque Moinhos de Vento, onde os críticos do ex-presidente celebrarão, em caso de confirmação da condenação. O "CarnaLula" é descrito como "um verdadeiro pré-Carnaval" e terá música, carros de som e pronunciamento de lideranças do MBL. O evento já tinha quase 900 pessoas confirmadas em uma rede social até o final da tarde de ontem. Em São Paulo, o MBL estuda instalar um telão na avenida Paulista, na região central da cidade, para acompanhar os desdobramentos do julgamento.
Por outro lado, a Banda Loka Liberal, tradicional parceira do MBL nos movimentos pró-impeachment em 2016, não está mobilizada para o julgamento. "Talvez (aconteça) só uma comemoração espontânea, caso ele (Lula) seja preso, na nossa esquina", diz, uma pessoa ligada à banda, referindo-se ao parque Moinhos de Vento - o Parcão -, reduto das manifestações antipetistas na capital gaúcha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Adelino 09/01/2018 07h40min
Lula tem que pagar pelos seus crimes, e os apoiadores da corrupção são bandidos também, me refiro ao MST CUT e PT, tem que ser barrados para evitar as badernas, que os sempre fazem.