Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 13 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 13/01 às 14h16min

Empresas vão voltar para os EUA, garante Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou há pouco pelo Twitter a performance recente da economia americana.
"Ontem foi um grande dia para o mercado de ações. Os empregos estão voltando para a América. A Chrysler está saindo do México e voltando para os EUA, e muitas outras virão. O dinheiro do corte de impostos dos trabalhadores americanos está retornando para a economia, e mais empresas anunciarão novas unidades. Os negócios americanos estão atrativos de novo", escreveu Trump no Twitter.
Nesta sexta-feira, as bolsas de Nova York prosseguiram o rali visto desde a virada do ano. Dos nove pregões de 2018, os índices S&P 500 e Nasdaq subiram e renovaram as máximas históricas em oito deles. Já o Dow Jones avançou ao recorde de fechamento em seis sessões.
Por sua vez, a Fiat Chrysler se adiantou a eventuais mudanças no Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês) e anunciou a transferência da linha de produção dos caminhões da marca Ram da cidade mexicana de Saltillo, no México, para Warren, em Michigan. A previsão é de criação de 2,5 mil vagas de emprego na fábrica americana.
A renegociação do Nafta é uma das promessas de campanha de Trump Em 2016, ele acusou o México e o Canadá de concorrência desleal e de estarem roubando postos de trabalho de cidadãos dos EUA.
Nesta semana, autoridades canadenses admitiram acreditar que Trump vai anunciar em breve a saída do acordo. A parceria está sendo rediscutida desde meados do ano passado, mas poucos avanços foram feitos nas cinco rodadas de conversa.
Na série de tuítes deste sábado, Trump atacou também os adversários democratas. Ele disse que membros do partido "só conversam e não tomam nenhuma ação" para modificar o Daca.
O Daca é o programa que suspende a deportação de jovens levados aos EUA de maneira clandestina por seus pais quando eram crianças. Os democratas e alguns republicanos defendem que é necessário reconhecer a cidadania destas pessoas. Trump, por sua vez, alega que eles trazem riscos para a segurança e o emprego dos americanos.
"Este é o momento. Mas, dia após dia, eles (os democratas) estão deixando passar uma grande oportunidade que temos. Isso é muito ruim!", escreveu Trump.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia