Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Alemanha

Alterada em 12/01 às 08h48min

Grupo de Merkel e SPD fecham acordo preliminar na Alemanha para formar coalizão

Líderes do grupo conservador da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, fecharam nesta sexta-feira (12) um acordo preliminar com o Partido Social-Democrata (SPD, pela sigla em alemão), de centro-esquerda, para seguir adiante com negociações para a formação de um governo de coalizão.
Após mais de 24 horas de conversas, a aliança de Merkel e o SPD divulgaram um documento de 28 páginas detalhando compromissos fechados numa série de questões, incluindo nas áreas tributária e de saúde, e também sobre imigração.
Porta-voz do SPD, Serkan Agci disse a repórteres em frente à sede do partido, onde ocorreram as discussões, que houve um "significante avanço" no diálogo, mas que o documento ainda está sujeito a uma revisão final e depende de aprovação dos partidos envolvidos.
Apesar do acordo prévio, ainda não está garantido que o bloco de Merkel fechará um pacto definitivo com o SPD para formar uma coalizão.
Entre outras coisas, líderes do SPD terão de convencer correligionários sobre a necessidade de discutir a formação de uma coalizão, durante conferência do partido, onde certamente enfrentarão resistência. Depois disso, as partes envolvidas terão de fechar um acordo de coalizão definitivo, que será submetido à aprovação dos integrantes do SPD.
De qualquer forma, sem o acordo preliminar de hoje, as únicas opções de Merkel seriam formar um governo minoritário ou convocar novas eleições.
Na eleição de 24 de setembro do ano passado, o grupo de Merkel foi vitorioso, mas não obteve maioria absoluta no Parlamento alemão. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia