Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Alterada em 11/01 às 16h51min

Litoral gaúcho receberá reforço no estoque de vacina contra a febre amarela

A medida anunciada pela Secretaria Estadual de Saúde é para prevenir o surto da doença na região

A medida anunciada pela Secretaria Estadual de Saúde é para prevenir o surto da doença na região


CLAITON DORNELLES /JC
Os postos da região litorânea do Rio Grande do Sul deverão receber reforço de estoque de vacinas contra a febre amarela para imunização dos moradores da região. A medida foi anunciada pela Secretaria Estadual de Saúde nesta quinta-feira (11) e serve como forma de preveniro surto da doença que tem afetado os estados do Sudeste e Nordeste do País.  
Em Porto Alegre, a dose única da vacina contra a doença está disponível em todos os postos de saúde administrados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Entretanto, apesar de garantir que há conteúdo imunobiológico para toda população, a Secretaria alerta que não há necessidade de urgência na vacinação para moradores da Capital. Aproximadamente 48 mil porto-alegrenses foram vacinados em 2017.
Para quem vai viajar para cidades ou estados que tenham risco de contaminação, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alerta para que os viajantes façam o processo de imunização dez dias antes da data marcada para viajem. Caso a viajem seja para o exterior, há informações no site da Anvisa (http://portal.anvisa.gov.br/dicas-de-saude-para-viagem) dos países que exigem o Certificado Internacional de Vacinado. Gestantes, idosos e pessoas imunodeprimidas devem ter orientação médica para serem vacinadas, com atestado médico indicando ou contraindicando a vacina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia