Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Notícia da edição impressa de 11/01/2018. Alterada em 11/01 às 08h33min

Chuva persiste pelo menos até domingo no Rio Grande do Sul

Em pouco mais de meia hora, ruas ficaram alagadas em Porto Alegre

Em pouco mais de meia hora, ruas ficaram alagadas em Porto Alegre


CLAITON DORNELLES /JC
A chuvarada que chegou ao Rio Grande do Sul na tarde de ontem deve se manter pelos próximos dias. Em Porto Alegre, o temporal causou alagamentos nas vias e congestionamentos no trânsito, principalmente nas zonas Norte e Central.
Em duas horas e meia de precipitação, o volume de água atingiu 38,6 milímetros. O Aeroporto Internacional Salgado Filho chegou a ser fechado por cerca de meia hora devido à queda de um raio, que causou um choque em uma pessoa. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) aponta a possibilidade de pancadas de chuva pelo menos até domingo, tanto na Capital como no Interior.
Para esta quinta-feira, há previsão de céu nublado com pancadas de chuva, especialmente nas regiões Norte, Nordeste, Noroeste e Centro do Estado. A temperatura deve variar entre 16 e 35 graus. Em Porto Alegre, o cenário se mantém, e a temperatura oscila entre 22 e 32 graus.
Para amanhã, a previsão é a mesma, com possibilidade de pancadas e trovoadas isoladas no Oeste, no Norte e no Nordeste do Rio Grande do Sul. A temperatura varia entre 16 e 34 graus. Na Capital, também chove, mas a temperatura não sofrerá tanta alteração, se mantendo entre 23 e 31 graus.
Na quarta-feira, segundo o Inmet a temperatura mais alta, de 35,7 graus, foi sentida em Quaraí, e a mais baixa, de 14,4, em São José dos Ausentes. Na Capital, os termômetros variaram entre 21,9 e 32,7 graus. Já conforme o sistema Metroclima, da prefeitura, a máxima registrada foi de 36,4 graus, no bairro Lami.

Sistema Metroclima aponta que 2017 foi o ano mais quente na Capital

Dados divulgados ontem pelo sistema Metroclima, da prefeitura de Porto Alegre, apontam que 2017 foi o ano mais quente da história climatológica da Capital. A conclusão foi obtida a partir de dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). No ano passado, a média dos termômetros foi de 20,8 graus, acima da média geral de 19,5 graus, referente à série de 1961 a 1990.
De acordo com os cálculos, o ano de 2017 foi 0,09 graus mais quente que 2012, o mais elevado da série histórica até então. Durante o ano passado, 11 meses foram mais quentes que o normal, em especial setembro, que registrou média de 20,6 graus, quase quatro acima da média histórica de 16,8 graus. O único mês de 2017 que ficou abaixo do esperado foi novembro, que registrou três décimos a menos e teve média de 21,3 graus.
Com os novos números, os dois anos mais quentes já registrados na Capital ocorreram nesta década. Além disso, três dos cinco anos de maior calor na cidade foram registrados no atual século, uma vez que 2001 teve 20,6 graus como média, dividindo com 1940 o terceiro posto no ranking.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia