Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 19/01 às 13h50min

IPO da Blau Farmacêutica pode girar até R$ 1,105 bilhão

A Blau Farmacêutica fará um oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) que pode movimentar até R$ 1,105 bilhão. O valor corresponde à distribuição primária de 50 milhões de papéis e secundária (do vendedor) de 7,5 milhões de ações, além de outros 7,5 milhões de papéis em lote suplementar, se exercido integralmente, e considerando o teto da faixa indicativa de preço, que é de R$ 13 a R$ 17.
As ações serão negociadas a partir de 9 de fevereiro na B3 com o código BLAU3, no segmento Novo Mercado. A operação, segundo a Instrução CVM 400, prevê oferta de varejo de, no mínimo, 10% e, no máximo, 20% da totalidade das ações. O período de reserva é entre 25 de janeiro e 6 de fevereiro. O preço da ação na oferta será definido após procedimento de coleta de intenções de investimento (bookbuilding), no dia seguinte, 7 de fevereiro.
A coordenação é do Banco Itaú BBA (líder), com J. Safra, JPMorgan e Morgan Stanley. O acionista vendedor é Marcelo Rodolfo Hahn, detentor de 100% do capital. De acordo com as informações do site da farmacêutica, sua especialidade são medicamentos de alta complexidade, como oncologia, nefrologia, hematologia, infectologia, entre outros.
O departamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) da Blau Farmacêutica é dividido em dois setores: produtos biológicos e drogas sintéticas. Além da fábrica em Cotia (SP), a empresa conta com seis subsidiárias em países da América Latina - Uruguai, Colômbia, Argentina, Peru e Chile - e afirma que terá em breve uma na Cidade do México.
Os recursos obtidos com a oferta primária serão destinados para expansão da capacidade produtiva e de distribuição no Brasil; aceleração de sua política de investimento em P&D; expansão da atuação na América Latina; capital de giro para novos investimentos; e pagamento de dividendos, conforme venham a ser declarados anteriormente à precificação da oferta.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia