Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 14 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Fiscalização

Alterada em 14/01 às 20h25min

França investiga dona da Batavo por salmonella em leite para bebês

Companhia afirmou que pagará indenizações a cada família que foi prejudicada

Companhia afirmou que pagará indenizações a cada família que foi prejudicada


GUILLAUME SOUVANT/AFP/JC
Folhapress
O presidente-executivo da Lactalis, Emmanuel Besnier, disse à publicação semanal Journal du Dimanche que a companhia, uma das maiores produtoras de laticínios do mundo, "pagará indenizações a cada família que foi prejudicada" por uma contaminação por salmonella em seus produtos de leite para bebês na França.
Até agora, 37 bebês foram diagnosticados com contaminação por salmonella na França, após terem consumido leite ou fórmula provenientes da unidade da Lactalis alvo da investigação.
O governo francês informou que a investigação judicial para determinar os responsáveis pela contaminação continuará.
Infecções por salmonella podem ser um risco para a saúde. As famílias de crianças que adoeceram na França por causa da contaminação do leite para bebês anunciaram uma série de processos judiciais.
As fórmulas infantis, produzidas na fábrica da empresa em Craon, são exportadas para 83 países.
No Brasil, a Lactalis é dona de marcas como a Batavo e a Elegê. Em dezembro, a empresa anunciou a aquisição do laticínio mineiro Itambé, que foi suspensa pela Justiça.
A reportagem não conseguiu contatar a assessoria da empresa no Brasil para saber se o leite é exportado para o país.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia