Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

Alterada em 12/01 às 14h48min

Preços do material escolar variam em mais de 2000% em Porto Alegre

Fita crepe, apontador plástico e lápis preto apresentam maiores diferenças de custo

Fita crepe, apontador plástico e lápis preto apresentam maiores diferenças de custo


MARCO QUINTANA/JC
Uma pesquisa feita pelo Procon Porto Alegre indica que o custo do material escolar pode variar bastante, dependendo do local onde for adquirido. De acordo com o levantamento, que analisou o preço de 30 itens em 14 estabelecimentos da Capital, a diferença entre o maior e o menor valor de alguns itens superam os 2000%.
As maiores discrepâncias foram encontradas nos preços da fita crepe (R$ 0,35 a R$ 7,99), do apontador plástico (R$ 0,20 a R$ 5,95) e do lápis preto (R$ 0,25 a R$ 4,99). Também chama a atenção a desproporção no custo da pasta com elástico (R$ 1,79 a R$ 10,99), transferidor (R$ 0,60 a R$ 4,90), caderno para desenho (R$ 4,90 a R$ 21,99), caneta esferográfica (R$ 0,98 a R$ 7,99) e caixa de lápis de cor (R$ 2,39 a R$ 19,90).
A partir da pesquisa, o Procon alerta os consumidores para detalhes importantes antes da compra, além da pesquisa pelo menor preço: a possibilidade de reaproveitamento de materiais do ano letivo anterior e a atenção para feiras e brechós de itens usados, onde podem ser encontrados utensílios mais baratos.
O órgão municipal lembra ainda que as escolas não podem incluir em sua lista materiais de uso coletivo, como papel higiênico, copos e pratos descartáveis e canetas para quadro branco, cujos custos já são incluídos na mensalidade. A instituições de ensino também não podem solicitar itens de uma determinada marca ou estabelecer um local de compra específico para os materiais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia