Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Contas Públicas

Notícia da edição impressa de 12/01/2018. Alterada em 11/01 às 22h31min

Bndes trabalha para devolver R$ 130 bi ao Tesouro

Banco considera empresas de pequeno porte aquelas que faturam anualmente até R$ 16 milhões

Banco considera empresas de pequeno porte aquelas que faturam anualmente até R$ 16 milhões


/DANILO UCHA/JN/ARQUIVO/JC
O diretor de Planejamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), Carlos Da Costa, reiterou nesta quinta-feira a posição do diretor financeiro da instituição de fomento, Carlos Thadeu de Freitas, de que o banco de fomento está trabalhando para devolver R$ 130 bilhões este ano ao Tesouro Nacional.
"Queria reiterar a posição que já foi dita pelo diretor financeiro. Estamos trabalhando para chegar nos R$ 130 bilhões de devolução", afirmou Costa, durante a apresentação de mudanças nas políticas operacionais do banco.
Na segunda-feira, Freitas disse que o Bndes se preparou para retirar R$ 130 bilhões do caixa neste ano, mas o valor deve contemplar devoluções ao Tesouro Nacional, ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e ao Fundo do PIS/Pasep (valores anteriores a 1988, ainda depositados no banco). Segundo Costa, ainda não há uma data para as devoluções, mas é possível que Bndes estabeleça um cronograma para devolver os recursos, em vez de passá-los ao Tesouro de uma vez.
Ainda conforme Costa, a devolução é compatível com as projeções de desembolsos para 2018, que ainda estão sendo calculadas. "Esperamos um aumento substancial (nos desembolsos). Ainda não gostaria, hoje, de dizer exatamente um valor, porque ele está sendo fechado", disse Costa, completando que o valor a ser liberado neste ano "vai na direção" de R$ 100 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia