Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Notícia da edição impressa de 11/01/2018. Alterada em 10/01 às 22h59min

Maior acionista da Oi pede suspensão de cláusulas do PRJ

A Bratel, subsidiária da Pharol, maior acionista da Oi, entrou com pedido na 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro para que sejam suspensas algumas cláusulas no Plano de Recuperação Judicial (PRJ) da operadora.
Na avaliação da Pharol, o plano altera indevidamente a governança prevista no Estatuto Social da Oi e afeta diretamente os direitos reservados aos acionistas, em especial quanto aos aumentos de capital. O PRJ da Oi foi aprovado na madrugada do dia 20 de dezembro, e homologado pela Justiça no último dia 8.
O juiz responsável pela 7ª Vara, Luiz Fernando Viana, está de férias, sendo substituído pelo juiz Ricardo Lafaiete, que ainda não se pronunciou, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A Oi informou que não vai se pronunciar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia