Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

Alterada em 10/01 às 12h02min

Exportação gaúcha de soja bate recorde em 2017, aponta FEE

Volume embarcado totalizou 12 milhões de toneladas do ano

Volume embarcado totalizou 12 milhões de toneladas do ano


PORTO DE RIO GRANDE/DIVULGAÇÃO/JC
O volume de soja em grão exportado pelo Rio Grande do Sul em 2017 foi o maior desde o início da série histórica em 2007, totalizando 12 milhões de toneladas. O recorde fez com que as exportações do agronegócio gaúcho registrassem alta de 3,4% no ano, com aumento no volume embarcado (9,9%) e queda nos preços médios (-6,0%), totalizando US$ 11,4 bilhões.
O complexo soja (US$ 5,5 bilhões) liderou o ranking de setores mais importantes para as exportações do Estado, seguido por carnes (US$ 2,0 bilhões), fumo e seus produtos (US$ 1,6 bilhão), produtos florestais (US$ 596,9 milhões) e cereais, farinhas e preparações (US$ 386,9 milhões).
Na comparação com o resultado de 2016, o complexo soja foi o setor que apresentou o maior crescimento absoluto no valor exportado (mais US$ 625,1 milhões, 12,9%). O incremento de 23,6% no volume das vendas externas de soja em grão foi o principal responsável por esse desempenho.
Na contramão, os setores que apresentaram queda no valor exportado no ano passado foram produtos florestais (menos US$ 182,0 milhões, -23,4%), máquinas e implementos agrícolas (menos US$ 155,4 milhões, -61,7%) e couros e peleteria (menos US$ 55,5 milhões, -12,9%).
Os principais destinos das vendas gaúchas do agronegócio para o exterior foram China (44,9%), União Europeia (14,1%), Rússia (3,3%), Estados Unidos (3,2%) e Coreia do Sul (2,5%). Esses destinos concentraram 68,1% das exportações do período.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia