Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 09/01 às 18h34min

Banco Central da Argentina reduz taxa de juros para 28% ao ano

O Banco Central da República Argentina (BRCA) reduziu de 28,75% para 28,0% a taxa básica de juros da economia do país, reforçando que a inflação do país quebrou nos últimos meses o nível de resistência observado de 2016 até meados de 2017 e que a política monetária vai ser conduzida para alcançar a meta em 2018.
A instituição comentou que a redução da taxa de juros ocorre no contexto de ajusta da meta de inflação no país. No final de dezembro, a instituição anunciou o alvo de 15% para 2018, 10% em 2019 e 5% em 2020. O BC argentino atrasou em um ano o compromisso de ter o nível de preços em 5%.
Apesar da queda da taxa, o banco central argentino reforçou a cautela na condução da política monetária. "Por causa dessa moderação, o viés de contração somente poderá se sustentar no tempo na medida em que a evolução da desinflação seja compatível com a trajetória buscada", disse a instituição, em comunicado.
No texto, o BCRA informou ainda que as transferências para o Tesouro vão diminuir em 2019 à metade do montante esperado para este ano. "Para os anos subsequentes, está definida uma regra automática não vinculada à taxa de inflação mas ao crescimento real da demanda de dinheiro", afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia