Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 04/01/2018. Alterada em 03/01 às 21h36min

Eu era assim...

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
A demolição do vetusto Hotel Siri de Tramandaí, da década de 1940, cujo terreno abrigará duas torres residenciais a meia quadra curta da orla, liquida com mais um pedaço da Tramandaí antiga. A praça que fica defronte foi doada pelo Condomínio Edifício Tramandaí, quase anexo ao hotel, sob condição de que o município fizesse uma praça para sempre e que nenhuma construção nela fosse permitida.

...mas fiquei assim


FABÍOLA ALBRECHT/DIVULGAÇÃO/JC
Para os veranistas com mais de 40 anos, a Tramandaí dos velhos tempos feneceu. Pela infraestrutura de ano inteiro e proximidade de Porto Alegre, a cidade já era uma opção de fuga da cidade grande, com moradores permanentes, e não só aposentados que buscam uma vida mais tranquila. Aliás, essa vida mais tranquila das cidades do Litoral está dando lugar a uma vida cada vez menos tranquila a passos largos.
 

De mala e cuia

A quantidade de pessoas que decidiram deixar o Brasil para viver em outro país cresceu 165% em um período de sete anos. Em 2011, foram 8,1 mil declarações de saída definitiva entregues à Receita Federal; em 2017, contudo, esse número mais que dobrou, e 21,7 mil brasileiros deixaram o País até 13 de dezembro (dados mais recentes). O salto mais expressivo foi entre 2015 e 2016.

Sérgio Petzhold

Ex-presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul e ex-goleiro do Internacional e do Floriano - hoje Novo Hamburgo - faleceu aos 79 anos.

Novo bairro

A enorme área ao lado do Trensurb, no início da BR-116, em frente à cabeceira da pista do Aeroporto Salgado Filho, deverá abrigar as famílias que precisarão sair ao longo do percurso da segunda ponte do Guaíba. Se não estas, as que moram na cabeceira oposta, permitindo a ampliação da pista. Decisão deve sair este ano. Certo é que a área junto à BR-116 só poderá ter prédios baixos porque fica no eixo da pista.

Perigo nas rodovias

Famílias inteiras morrem nas rodovias em colisões quase sempre frontais. É terrível essa constatação. Poucas rodovias duplicadas é um dos ingredientes, mas como na aviação, geralmente uma sucessão de eventos leva à catástrofe. No trânsito, desatenção e imperícia fazem parte desse vale de lágrimas.

Em compensação...

...na Capital, o ano de 2017 teve uma redução geral de 10% no número de acidentes de trânsito (incluindo motos, ora vejam só), no número de feridos (-11%) e de vítimas fatais, os menores índices dos últimos cinco anos. Estamos aprendendo ou o trânsito travado mais a buraqueira seriam a explicação.

Segurança aérea

O ano de 2017 foi o mais seguro da história da aviação porque não foi registrada nenhuma vítima fatal em voos de grandes companhias aéreas comerciais, informa a holandesa Aviation Safety Network. Nos aviões de mais de 14 assentos e voos de cargas foram 10 acidentes com 44 mortes em voo e 35 em terra. Houve 36,8 milhões de voos em todo o planeta.

Miúdas

  • PLAYBOY pode deixar de circular nos EUA após 70 anos. Nudez de terceira idade é brabo.
  • HOJE é o Dia Internacional do Spaghetti. Pelo menos é uma data comestível, digamos assim.
  • MP do setor elétrico encontra rejeição no Congresso. Chantagem à vista. Tudo como dantes no Quartel dos Abrantes.
  • PEEMEDEBISTAS voltam a ser emedebistas. O partido tirou o "P" para voltar à sigla antiga.
  • ISSO muda o quê, exatamente? É trocar seis por meia dúzia. No popular, me engana que eu gosto.
  • DURANTE o feriadão a Triunfo Concepa atendeu 2,1 mil ocorrências na Freeway, 463 só no dia 2.
  • IMAGINA se a concessionária não tivesse serviço de socorro médico e mecânico. Essa é a diferença.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia