Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Defensoria Pública

Notícia da edição impressa de 06/02/2018. Alterada em 05/02 às 18h08min

Mediadores obtêm acordos em 90% das sessões em Centro de Referência

Desde a implementação do Centro de Referência em Mediação e Conciliação (CRMC), em julho de 2017, a Defensoria Pública, por meio da Unidade Central de Atendimento e Ajuizamento (UCAA), realizou 224 sessões de mediação entre agosto e dezembro do ano passado. Nesses casos, 90% resultaram em acordos.
Para efetivar esse trabalho, o CRMC capacitou 27 mediadores, que agora estão aptos a realizar a negociação de conflitos em processos extrajudiciais, principalmente no âmbito do Direito de Família. A mediação é uma alternativa permanente ao ajuizamento de ações no Judiciário. Ela objetiva esclarecer direitos e deveres do cidadão na área do Direito de Família, expostos com ferramentas de trabalho que visam ao restabelecimento do diálogo e da harmonia familiar.
A média de sessões foi de 45 por mês, tendo 215 assistidos, que responderam a um questionário com perguntas relativas a efetividade, resultados, participação, diálogo, imparcialidade e repasse de informações nas mediações, entre outras.
Desses, 89,7% relataram ter conseguido uma solução para o conflito; 87% manifestaram satisfação com o resultado da mediação; e 91,6% registraram como muito justo ou justo o acordo firmado. Cerca de 98% afirmaram que tiveram oportunidade de se pronunciar nas sessões; e ao menos 86% assinalaram totalmente imparcial ou imparcial a atuação do mediador nas sessões.
Em relação ao repasse de informações e à condução das atividades pelo mediador, mais de 97% indicaram terem recebido conhecimentos acerca de seus direitos e deveres; e 98% observaram como positivo o trabalho desenvolvido pelo mediador. Sobre a melhoria do diálogo após a mediação, 89% confirmaram positivamente; e 90% indicariam a mediação para algum conhecido.
Além disso, 84% disseram que procurariam novamente a mediação em caso de novo conflito; 92% apontaram como extremamente confortável ou confortável o índice de conforto durante a realização das mediações; e 95% negaram ter sofrido pressão para realizar acordo.
O Centro de Referência em Mediação e Conciliação realiza atendimentos de segundas às sexta-feiras, das 9h às 12h e das 13h30m às 18h, na avenida Borges de Medeiros, 1.945, no 8º andar. Mais informações sobre a mediação podem ser obtidas através do telefone (51) 3228-9425.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia