Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 08/01 às 18h41min

Crime organizado e terrorismo são focos das Forças Armadas

O crime organizado nas fronteiras e nos centros urbanos foi a principal "força oponente" ou "agente perturbador da ordem" enfrentada pelos militares (25,9%), segundo os documentos de 181 operações de segurança integrada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Os dados foram compilados pelo Ministério da Defesa, pela Marinha, pelo Comando de Operações Terrestres do Exército, pelo Estado-Maior do Exército, pela Força Aérea, e pelos Comandos Militares do Planalto (CMP), do Nordeste (CMNE) e do Leste (CML).
Os números mostram que a ameaça terrorista ocupou o segundo lugar (23,2%) nas preocupações dos militares, seguida por policiais e caminhoneiros grevistas e bandidos que se aproveitavam desses movimentos (16,5%) e manifestantes em geral (7,1%), como os integrantes do movimento dos sem-terra. Entre os perturbadores da ordem também aparecem garimpeiros, grileiros, fazendeiros, índios e madeireiros, principalmente na região Norte do País.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia