Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Transporte

Notícia da edição impressa de 04/01/2018. Alterada em 03/01 às 18h08min

Governo paulista intensifica combate a roubo de carga

Delegacias das regiões mais problemáticas prenderam oito pessoas em flagrante por práticas ilegais

Delegacias das regiões mais problemáticas prenderam oito pessoas em flagrante por práticas ilegais


/WELLINGTON PEDRO/IMPRENSA MG/DIVULGAÇÃO/JC
A Secretaria da Segurança Pública paulista diz que as polícias vêm trabalhando no combate a roubos de cargas. A pasta afirma também que, neste ano, em "mais da metade" dos 93 distritos policiais da capital não houve registro de roubo aos Correios (a afirmação desconsidera, porém, que a empresa restringe entrega nos locais perigosos).
O governo diz ainda que em 30 distritos da capital paulista houve, em 11 meses, o registro de um a três roubos contra os Correios. A pasta não informou o total de crimes registrados no período. "As polícias Civil e Militar atuam conjuntamente na segurança e ambas mantêm contato com representantes dos Correios para que registrem as ocorrências", disse a secretaria em nota.
De acordo com o governo, no combate ao roubo de cargas, "a Polícia Militar realiza mapeamento dos locais e diversas ações e abordagens em veículos de carga, por meio das operações". Na capital, diz a nota oficial, houve a prisão de 45 pessoas por envolvimento em roubo de carga em novembro passado, mês em que houve redução de 27% neste tipo de crime, em comparação com o mesmo período de 2016.
Ainda de acordo com a Segurança Pública, a reportagem erra ao relacionar a restrição de entrega de produtos pelos Correios à falta de segurança nas regiões - essa relação foi feita pela própria empresa de distribuição, quando questionada pela reportagem sobre a restrição a CEPs.
O governo diz ainda que as duas delegacias seccionais responsáveis pelas regiões mais problemáticas prenderam, no semestre, oito pessoas em flagrante por roubo aos Correios, além da apreensão de um menor de idade por roubo a um carteiro na Vila Jacuí.
Os Correios, que confirmaram a dimensão do levantamento da reportagem, informaram que o "modelo alternativo" para a entrega de encomendas busca garantir a segurança "dos trabalhadores e evitar que os objetos sejam roubados". Diz ainda que as informações sobre as áreas com restrição estão em seu site.
Para melhorar "a experiência dos destinatários", os Correios afirmam ter desenvolvido sistema em que a entrega pode ser feita em agência a ser escolhida pelo cliente. "Ele pode optar por endereço que seja mais cômodo, como uma unidade mais próxima do trabalho ou um shopping, por exemplo. São 7 mil unidades disponíveis." Ainda segundo os Correios, a "competência para o enfrentamento" da insegurança "é do Estado".
"Por isso, a empresa desenvolve ações preventivas em parceria com os órgãos de segurança, em nível estadual e federal, para investigar e coibir os assaltos. As ocorrências são imediatamente comunicadas aos órgãos de segurança pública (Polícia Federal, Polícia Militar) para as devidas providências", diz. Os Correios não informaram a quantidade de roubos, números de funcionários afastados nem prejuízo com pagamento de seguro.

Comissão da Câmara aprova projeto que regulamenta transporte

A Comissão Especial de Transporte Rodoviário de Cargas da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei nº 4.860/2016, que institui normas para a regulação do transporte rodoviário de cargas no País, em atualização à Lei nº 11.442/2007, informou o site da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). O PL, de autoria da deputada Christiane Yared (PR-PR), segue agora para tramitação no Senado.
A relatoria do PL é do deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP), membro da FPA. Conforme o parlamentar, o novo código possibilitará a redução do roubo de cargas, com punições mais rigorosas. "O PL beneficia os caminhoneiros, dando mais segurança ao transporte de produtos", disse.
Para o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), "é preciso harmonizar a questão do transporte com os autônomos, as empresas, as cooperativas e, principalmente, com a agricultura. Queremos que haja uma legislação diferenciada para a agricultura brasileira, que é o maior cliente do transporte". O transporte rodoviário é responsável por 80% da movimentação de cargas do País, informou a FPA.
Outro deputado, Mauro Pereira (PMDB-RS), também da FPA, lembrou que atualmente as transportadoras optam pelos autônomos, "porque o caminhão é dele, é ele que sabe onde estão os pardais, cuida 100% de todo o processo. Com isso, ele gera segurança para quem o contrata", complementou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia