Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Receita Federal

Notícia da edição impressa de 17/01/2018. Alterada em 17/01 às 16h25min

MPEs precisam renegociar dívidas junto ao Fisco, alerta Sebrae

Machado alerta que, quem perder o prazo estipulado para regularização, será excluído do Simples Nacional

Machado alerta que, quem perder o prazo estipulado para regularização, será excluído do Simples Nacional


/JONATHAN HECKLER/arquivo/JC
O mês de janeiro é definitivo para aquelas micro e pequenas empresas que estão inadimplentes com a Receita Federal. Com o veto do governo brasileiro ao Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - o Refis, a alternativa para mais de 400 mil empreendedores de todo País é aderir ao modelo anterior de renegociação. "Caso as empresas não regularizem sua situação até o dia 31 de janeiro, serão excluídas do Simples Nacional", alerta o gerente de Políticas Públicas do Sebrae-RS, Alessandro Machado.
 O presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, reforça essa orientação. "As empresas têm até o dia 31 de janeiro para solicitar o refinanciamento nas condições antigas, que não são tão favoráveis. E precisam aguardar até o mês de fevereiro, quando o Congresso deverá derrubar esse veto. Com isso, elas poderão migrar para uma condição melhor de parcelamento e continuar no sistema", afirmou.
Este modelo convencional é válido para o refinanciamento das micro e pequenas empresas com valores vencidos do Simples Nacional e o prazo é de até 60 meses para pagamento das dívidas. O Refis, vetado pelo governo federal, permitia que os valores devidos fosses saldados em até 180 parcelas. O pedido de renegociação deve ser encaminhado no Portal do Simples Nacional, no link www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional, ou no Portal e-CAC (Central Virtual de Atendimento da Receita Federal do Brasil) no endereço https://cav.receita.fazenda.gov.br.
A situação do Microempreendedor Individual (MEI) é ainda mais preocupante. A média de inadimplência dos MEIs passava de 50% em toda a categoria no Brasil em setembro de 2017 e quase 2 milhões estão com o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) suspensos por não estarem em dia com o cumprimento das suas obrigações fiscais.
Para reverter a situação e evitar o cancelamento automático da inscrição no Simples Nacional, os MEIs têm até o dia 23 de janeiro para regularizar suas dívidas. O prazo para pagar os débitos é de até 60 meses. "Para descobrir se está em dia com os tributos, o empresário deve consultar seu status em www.portaldoempreendedor.gov.br, usando o (Cadastro de Pessoa Física) CPF ou o CNPJ vinculados ao MEI", explica Machado. Depois, caso necessite resolver sua situação, deve acessar o Portal do Simples Nacional (www.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/) nas abas Simei/serviços/parcelamento/MEI.
O gerente do Sebrae-RS destaca que o pagamento das pendências e o envio das declarações atrasadas dos MEIs deve ser realizada sem falta até o dia 23 de janeiro para evitar a baixa definitiva do registro empresarial e a entrada na ilegalidade do empresário, o que pode acarretar outros tipos de problemas e punições.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia