Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça

Notícia da edição impressa de 07/12/2017. Alterada em 06/12 às 21h49min

Moro defende fim do foro e cobra verbas para PF

O juiz federal Sérgio Moro fez um discurso direto sobre o fim do foro privilegiado, a manutenção da possibilidade de prisão em segunda instância e o fortalecimento da Polícia Federal (PF) durante evento da revista "IstoÉ", em São Paulo, que teve a presença do presidente Michel Temer (PMDB) e outros membros do governo.
"Todas as pessoas precisam ser iguais perante a lei", afirmou Moro, um dos agraciados da premiação "Brasileiros do Ano 2017", ao defender o fim do foro. O magistrado elogiou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), que estava na cerimônia, mas cobrou: "Embora o magnífico trabalho do senhor, parece que algum investimento se faz necessário para o refortalecimento da Polícia Federal".
No momento em que Moro foi receber o prêmio da noite, todos os outros premiados se levantaram para aplaudi-lo - exceto Temer, Meirelles, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o ministro Moreira Franco (PMDB). Moro também prestou homenagem ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia