Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

terrorismo

Alterada em 28/12 às 20h53min

Putin diz que explosão em São Petersburgo na quarta-feira foi ataque terrorista

Uma explosão em um supermercado em São Petersburgo, segunda maior cidade da Rússia, foi um ataque terrorista, disse o presidente russo, Vladimir Putin, que acrescentou ter ordenado às agências de segurança que matassem suspeitos no local se eles se resistirem à prisão.
Funcionários afirmaram que 13 pessoas ficaram feridas na quarta-feira quando um dispositivo explosivo improvisado foi acionado em uma área de armazenamento em um supermercado em São Petersburgo. Os investigadores disseram que o dispositivo continha 200 gramas de explosivos e foi manipulado com estilhaços para causar mais danos.
Enquanto as autoridades policiais russas não descreveram imediatamente a explosão como um ataque terrorista, Putin não mediu as palavras nesta quinta-feira, em uma cerimônia de premiação do Kremlin para tropas russas que lutaram na Síria. "Vocês sabem que ontem uma ataque terrorista foi realizado em São Petersburgo", disse. Ele continuou a notar que outro ato foi frustrado recentemente, uma referência a uma suposta série de bombardeios em São Petersburgo que a Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos EUA ajudou a prevenir, de acordo com o Kremlin.
Putin comentou, ainda, que disse ao chefe da FSB, principal agência de segurança russa, que os policiais que enfrentarem resistência de suspeitos de terrorismo devem "liquidar os bandidos no local". Até o momento, nenhum grupo reivindicou a responsabilidade pelo ataque no supermercado. Oito dos 13 feridos permanecem hospitalizados.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia