Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

espanha

Alterada em 05/12 às 10h48min

Justiça espanhola suspende mandado de prisão contra ex-presidente catalão

Folhapress
Um juiz espanhol suspendeu nesta terça-feira (5) o mandado de prisão para a Europa contra o ex-presidente catalão Carles Puigdemont e quatro de seus ex-conselheiros. O grupo se encontra atualmente na Bélgica, onde aguarda a análise de um pedido de extradição para a Espanha. Parte dos conselheiros de Puigdemont, que não deixaram a Espanha, estão presos.
O juiz disse que os mandados individuais não podem ser usados se o crime foi cometido por um grupo maior, como é o caso. O magistrado também disse que os acusados mostraram "intenção de retornar a Espanha" para concorrer as eleições na Catalunha, que ocorrem no próximo dia 21.
Os cinco acusados são investigados por rebelião e sedição, entre outros crimes, com penas que chegam a 30 anos de prisão. Os mandados foram emitidos em 3 de novembro, uma semana após o governo de Puigdemont ser destituído pelo governo espanhol por suas tentativas de declarar a independência da Catalunha.
Após destituir Puigdemont, Madri também convocou uma eleição antecipada para a região, que acontece no próximo dia 21.
Pesquisas mostram que os partidos pró-independência podem perder a maioria no Parlamento regional. A crise catalã começou com o plebiscito de 1º de outubro, que que terminou com 90% dos votos favoráveis à separação e com 43% de participação.
A batalha entre Madri e os independentistas na rica região do nordeste do país afetou a economia nacional e fez com que várias empresas mudassem sua sede legal para fora da Catalunha, que responde por cerca de 1/5 da economia da Espanha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia