Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Notícia da edição impressa de 08/12/2017. Alterada em 07/12 às 23h17min

Assembleia define rumo da greve do Cpers, que já dura três meses

Está marcada para esta sexta-feira mais uma assembleia geral dos professores estaduais. A reunião ocorre a partir das 13h30min, no Ginásio Gigantinho, em Porto Alegre. A greve, que começou no dia 5 de setembro, completou três meses na terça-feira. Mesmo que o movimento esteja enfraquecido - nesta quinta-feira, apenas 19 escolas, das 2.545 existentes no Estado, seguiam em greve total, e 311 funcionavam parcialmente -, a categoria optou, em assembleia no dia 23 de novembro, pela continuidade da paralisação.
Enquanto isso, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) toma providências para garantir que os alunos tenham condições de chegar às escolas durante o período de recuperação de aulas. Na quarta-feira, o secretário Ronald Krummenauer e o presidente da Federação das Associações de Municípios (Famurs), Salmo Dias de Oliveira, acertaram a continuidade dos serviços de transporte escolar mesmo após o final do ano letivo nos municípios.
A Seduc obteve, junto à Secretaria da Fazenda, parecer favorável para aplicar R$ 2 milhões no serviço, mediante replanejamento de orçamento. "Estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance para que os alunos tenham o menor prejuízo possível. Felizmente, conseguimos encontrar uma alternativa", afirmou o secretário.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia