Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

veículos

Notícia da edição impressa de 20/12/2017. Alterada em 19/12 às 22h39min

Valor do seguro obrigatório para carros cairá 35%

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) informou ontem que o preço do seguro obrigatório para automóveis será reduzido em 35% a partir de janeiro de 2018. Todas as categorias serão atingidas pela redução, com exceção de motos, em que o prêmio do seguro obrigatório já é elevado pela alta quantidade de sinistros. A superintendência, vinculada ao Ministério da Fazenda, faz todos os anos a revisão desse percentual - no ano passado, a redução foi de 37%.
Na categoria 1 de automóveis (veículos de passeio), a redução será de R$ 63,99 para R$ 42,00 ao ano a partir de janeiro. O seguro obrigatório, ou Dpvat (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), foi instituído em 1974.
Do total arrecadado, a maior parte vai para o pagamento de indenizações a vítimas de acidentes e para repasse ao Ministério da Saúde para custeio do atendimento médico, além de programas de prevenção de acidentes.
Outra decisão anunciada foi a permissão que seguradoras usem redes referenciadas, ou seja, não necessariamente autorizadas, para oferecer o seguro popular de automóvel, modalidade que ainda não deslanchou. Esse tipo de seguro visa os automóveis com mais anos de uso, que em geral não possuem muita oferta de cobertura. Dentro dessa modalidade, haverá também a autorização para uso de peças não originais, desde que compatíveis com o automóvel, e usadas, desde que certificadas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia