Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 07/12 às 19h26min

Claro compra parte da rede da Cemig Telecom em Sete Lagoas (MG)

A Claro acertou com a Cemig Telecom a compra de parte da infraestrutura de rede de TV e internet a cabo localizada na cidade de Sete Lagoas (MG). A conclusão do negócio aguarda o aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O valor da operação não foi divulgado.
A operação envolverá apenas a aquisição da parte coaxial da rede, que cobre parte da região metropolitana de Sete Lagoas. A Claro continuará utilizando a rede de fibras óticas da Cemig Telecom de forma compartilhada.
A venda de ativos da estatal mineira pode ganhar corpo nos próximos meses. Na metade deste ano, a Cemig anunciou um plano de venda de ativos, entre os quais figura a Cemig Telecom, cujo valor patrimonial é de R$ 193 milhões. A empresa foi criada em 1999 e tem foco em serviços de internet via redes de fibra óticas em Minas Gerais, Bahia, Ceará, Goiás e Pernambuco.
A potencial venda da subsidiária despertou o interesse das grandes operadoras desse mercado, que enxergam o potencial de gerar sinergias entre as redes de fibra ótica, de olho nos mercados de banda larga e TV paga. Procuradas, a Claro e a Cemig Telecom não comentaram a operação.
Em setembro, o diretor presidente da TIM, Stefano De Angelis, chegou a dizer que analisaria uma potencial compra da Cemig Telecom, mas semanas depois voltou atrás e negou que houvesse negociações em andamento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia